Venda de músicas de Amy Winehouse saltam nos EUA após morte

quarta-feira, 27 de julho de 2011 09:35 BRT
 

LOS ANGELES (Reuters) - Milhares de fãs de Amy Winehouse nos Estados Unidos se apressaram para ouvir novamente as músicas da cantora britânica que morreu na semana passada, segundo dados divulgados na terça-feira.

O sistema de monitoramento de vendas recordes Nielsen SoundScan revelou que fãs da cantora de soul compraram 50 mil cópias de seus CDs na semana que terminou em 24 de julho, comparadas às 44 mil unidades adquiridas em todas as outras semanas de 2011.

Seu álbum de sucesso de 2006, "Back to Black", que contém a música "Rehab", correspondeu a 37 mil das unidades vendidas nos Estados Unidos, a maior venda semanal desde março de 2008. O álbum de estreia de Winehouse, "Frank", de 2003, vendeu 7.600 unidades, disse o Nielsen SoundScan.

Mais de 95 por cento das vendas totais foram de downloads pela internet.

"Rehab", em que a artista de cabelo bufante canta a famosa letra, "They tried to make me go to rehab. I said 'no, no no" (Eles tentaram me fazer ir à reabilitação. Eu disse 'não, não não), foi o single que foi baixado mais vezes, com 34 mil vendas digitais nos Estados Unidos.

Os fãs compraram um total de 111 mil músicas de Winehouse em versão digital, aumento de 2 mil por cento sobre a semana anterior, segundo o Nielsen SoundScan.

Winehouse morreu em sua casa em Londres em 24 de julho, aos 27 anos, então é provável que as vendas aumentem ainda mais na semana que termina no sábado, 31 de julho, pois os fãs souberam de sua morte apenas um dia antes da conclusão da semana anterior.

Durante grande parte de sua carreira, a cantora enfrentou problemas de abuso de álcool e drogas, mas na terça-feira, eu pai disse que ela estava se exercitando todos os dias e havia começado a praticar yoga.

Uma autópsia foi realizada, mas uma causa oficial da morte ainda não foi determinada, e autoridades aguardam os resultados dos exames de toxicologia.

O salto em vendas nos Estados Unidos refletem os resultados na Grã-Bretanha, onde 24 horas após a morte de Winehouse, "Back to Black" ocupou o topo das paradas de álbuns baixados no iTunes.

(Reportagem de Bob Tourtellotte)

 
Amy Winehouse no Festival de Jazz de St. Lucia, em 2009. Milhares de fãs nos Estados Unidos se apressaram para ouvir novamente as músicas da cantora britânica que morreu na semana passada, e as vendas de seus CDs saltaram para 50 mil cópias na semana que terminou em 24 de julho. 08/05/2009   REUTERS/Andrea De Silva/Arquivo