Japão busca medidas para evitar que idosos morram sozinhos

quarta-feira, 3 de agosto de 2011 09:59 BRT
 

Por Yuko Takeo

TÓQUIO (Reuters Life!) - Um em cada quatro japoneses tem mais de 65 anos, e esse envelhecimento da população significa também que cada vez mais idosos morrem sozinhos, e seus corpos só são descobertos depois de vários dias.

Mas, agora, autoridades locais e entidades como os Correios estão se associando para acompanhar a situação dos idosos, aumentar o contato humano deles e melhorar suas vidas.

O município de Shinagawa, que é parte da cidade de Tóquio, e onde no ano passado pelo menos 25 idosos morreram sozinhos nas suas casas, iniciou em agosto uma parceria com o Correio para que os carteiros entreguem cartões periódicos de cumprimentos aos maiores de 65 anos - uma forma de verificar se eles estão bem, e se nada está faltando na casa deles.

Em caso de problemas, os carteiros vão encaminhar os idosos para um órgão municipal, que se necessário acionará hospitais ou outros órgãos de bem estar social.

No ano passado, 4,6 milhões de idosos viviam sozinhos no Japão. O número de idosos que morreram sozinhos nas suas casas aumentou 61 por cento entre 2003 e 2010, chegando a 2.194, segundo o Departamento Bem Estar Social e Saúde Pública de Tóquio.

Por causa da arraigada relutância dos japoneses em interferir na vida alheia, muitos idosos podem passar vários dias sem falar com ninguém. Outro problema é o gradual rompimento com as tradições de respeito aos idosos e dos fortes laços comunitários, o que resulta num crescente isolamento, segundo especialistas.