Kutcher será bilionário da Internet em "Two and a Half Men"

quarta-feira, 3 de agosto de 2011 18:58 BRT
 

Por Jill Serjeant

LOS ANGELES (Reuters) - O personagem de Ashton Kutcher na nova temporada de "Two and a Half Men", que estreia em setembro, será de um bilionário da Internet de coração partido, revelou a chefe de entretenimento da CBS, Nina Tassler, na quarta-feira.

Mas ela não quis confirmar ou negar os relatos de que o personagem do ator Charlie Sheen, que foi demitido da série na última temporada, será morto, com direito a um funeral no episódio de estreia da nova temporada.

"Eu não confirmo nem nego isso... O mistério faz parte do marketing. Os falatórios e conversas são parte do que será a diversão", disse Tassler a jornalistas de TV reunidos no encontro semestral de críticos de televisão.

A filmagem do primeiro episódio da nova temporada deve acontecer na sexta-feira. O personagem de Kutcher será chamado Walden Schmidt, informou Tassler. Ele não será parente do solteiro mulherengo Charlie Harper --papel de Sheen.

A nova temporada estreia nos EUA em 19 de setembro e o primeiro episódio será dividido em duas partes.

Tassler, que falou publicamente pela primeira vez desde a saída de Sheen da comédia mais assistida dos EUA, descreveu a partida do ator como uma forma de revigorar o seriado. Mas ela reconheceu que pode demorar algum tempo para os telespectadores abraçarem a mudança.

"Eu não sei necessariamente se aqueles números (de audiência) estarão onde já estiveram uma vez, mas com o tempo eu acredito que eles serão muito bons", afirmou Tassler.

Em uma aparente cutucada a Sheen, que foi demitido após ter insultado os produtores do programa e após meses de festas e visitas à reabilitação, a chefe de entretenimento da CBS descreveu Kutcher como "um profissional incrível".   Continuação...

 
Foto combinada dos atores Charlie Sheen (esquerda) e Aston Kutcher (direita), de maio de 2011. Kutcher será bilionário da Internet em "Two and a Half Men", série da qual Sheen foi demitido. 12/05/2011 REUTERS/Mario Anzuoni (esquerda) e Chip East (direita)/Arquivo