Jejum do Ramadã dura dois minutos a mais em torre de Dubai

domingo, 7 de agosto de 2011 16:30 BRT
 

DUBAI (Reuters) - Moradores da torre mais alta do mundo, Burj Khalifa, em Dubai, têm de quebrar seu jejum de Ramadã diário dois minutos depois que o resto da cidade, disse o principal clérigo da cidade.

A uma altura de 828 metros, aqueles que moram nos andares superiores ainda conseguem ver o sol depois que ele se põe para o resto do centro financeiro e turístico do golfo.

Autoridades religiosas insistem que os muçulmanos que fazem o jejum durante o mês sagrado precisam se assegurar, antes de quebrar o jejum, que o sol não pode ser avistado no horizonte.

"Burj Khalifa tem quase um quilômetro de altura, o que significa que as pessoas nos andares mais altos ainda vêem o sol, depois que ele se põe", afirmou Ahmed Abdul Aziz al-Haddad à Reuters neste domingo.

"Por isso, eles não podem quebrar o jejum como o resto da cidade, existe uma diferença de dois minutos", disse al-Haddad, mufti de Dubai, um clérigo muçulmano que toma decisões sobre regras e questões da lei e da prática religiosa.

Haddad disse que um clérigo muçulmano enfrentou o mesmo problema mil anos atrás, quando foi questionado se guardas no topo do Farol de Alexandria deveriam quebrar o jejum com o resto da cidade.

"Sua resposta foi que eles (os soldados) só poderiam quebrar o jejum quando eles vissem que o sol tinha ido embora", disse Haddad.

(Reportagem de Mahmoud Habboush)