Bali enfrenta o lado negativo do sucesso

sexta-feira, 12 de agosto de 2011 11:36 BRT
 

Por Olivia Rondonuwu

NUSA DUA, Indonésia (Reuters Life!) - Guindastes de construção nas praias, corais danificados e lixo flutuante nas águas cor turquesa de Bali são um sinal infeliz de como o sucesso da ilha indonésia tem atraído turistas.

Visitantes estrangeiros foram atraídos à singular cultura hindu, à arte a às paisagens vulcânicas de Bali desde o século 19, mas nos últimos anos a riqueza crescente na Ásia tem gerado novas multidões de turistas da região.

A ilha também tem usado seu charme para se tornar um local de conferências internacionais e eventos envolvendo mais milhares de pessoas, muitos dos quais são realizados no complexo de resorts Nusa Dua, ao sul do aeroporto, onde redes internacionais de hotéis como Westin e Marriott se enraizaram.

O fluxo de dinheiro trazido por essas conferências, durante as quais os preços de hospedagem saltam devido à alta demanda, está acarretando na terraplenagem do relevo para mais resorts em uma ilha que algumas pessoas já consideram muito lotada, com pouca ou nenhuma consideração sobre os limites do meio ambiente.

"O que está acontecendo em Bali agora é a superexploração da indústria de turismo. Uma política de vender barato, explorar ao máximo", disse Wayan Suardana, chefe do grupo verde local Walhi, em Bali.

Suardana disse que antigas colônias de férias deveriam ser reformadas e é necessário prestar atenção em uma série de problemas gerados pelo crescente sucesso, como a escassez de eletricidade e água limpa, lixo montante e congestionamento.

Mas ao invés disso, o governo local tem aprovado a construção de resorts de 200 hectares para sediar o fórum de Cooperação Econômica Ásia-Pacífico de 2013 em Jimbaran, uma área montanhosa com vista para uma belíssima baía, ameaçando o estilo de vida dos fazendeiros, disse Suardana.

Na área de Nusa Dua, uma rua pequena com muitas curvas está ofuscada pela poeira das construções em desenvolvimento, que ocorre em ao menos três áreas vizinhas, e das ondas de caminhões trazem rochas e cimento.

Pensando na degradação ambiental, Suarnata lembra de um antigo ditado balinês, "Merta matemahang Wishya" -- "uma bênção que não é bem administrada pode se tornar um perigo".

Ele acrescentou: "A indústria de turismo nos trouxe benefícios, mas se não tivermos seriedade para administrar isso, com lixo acumulando por toda a ilha e atraindo doenças, quem gostaria de vir?"