Saber o final não atrapalha livros ou filmes, diz pesquisa

sexta-feira, 12 de agosto de 2011 14:54 BRT
 

Por Bernd Debusmann Jr.

NOVA YORK (Reuters) - Se você está com raiva porque algum estraga-prazeres revelou a trama de um filme ou contou o final de um livro, não precisa mais ficar.

Um novo estudo de pesquisadores da Universidade da Califórnia mostra que saber os fatos com antecedência pode aumentar o prazer, mesmo para livros marcados pelo suspense ou para enredos de filmes.

Depois de examinar três tipos de histórias -- reviravolta cômica, mistério e literária --, de autores como John Updike, Roald Dahl e Agatha Christie, eles constataram que os leitores preferiam versões que antes tinham um parágrafo que revelava o final da trama.

"Fiquei muito surpreso com os resultados", disse o pesquisador Nicholas Christenfeld em uma entrevista. "Como a maioria das pessoas, não dou uma olhada no final do livro para ver quem morre ou o que acontece.'

Para esse trabalho cada história foi lida por até 30 pessoas e apresentada em dois formatos: a versão original e uma outra com um parágrafo inserido, no qual se revelava o final da trama.

Leitores de todas as três histórias preferiram mais a versão estraga-prazeres do que a original.

"As tramas são só desculpa para uma grande obra", explicou Christenfeld. "Apesar disso, as tramas são importantes, como um esqueleto ou um 'gancho'. Você precisa delas para mostrar as coisas que são importantes, mas a trama não é por si só algo decisivo."

Christenfeld disse que em muitos casos um livro ou filme pode ser relido ou visto várias vezes, e ainda assim ser fonte de prazer.   Continuação...