ESTREIA-"Lanterna Verde" traz aventuras de herói da DC Comics

quinta-feira, 18 de agosto de 2011 15:14 BRT
 

SÃO PAULO (Reuters) - O que esperar de um super-herói que fracassou em sua missão? Não, ele não fracassou em impedir que a Terra fosse dominada por alienígenas hostis ou destruída por um arquivilão. Ele apenas não conseguiu que suas aventuras no cinema rendessem tanto dinheiro como esperavam os produtores. Ele será aposentado? Não, ele terá uma segunda chance, com aventuras mais "ousadas e sombrias" e novos efeitos especiais.

Os poderes dos espectadores são mais fortes que criptonita, mas Hollywood não desiste facilmente de receber o retorno de seus investimentos. E o devedor é "Lanterna Verde", super-herói da DC Comics, cujas aventuras não conseguiram ainda recuperar os US$ 200 milhões investidos pelos produtores.

O filme faturou nos Estados Unidos apenas US$ 114 milhões. Comparado com outros heróis saídos dos quadrinhos, o fraco desempenho de "Lanterna Verde" diverte seus inimigos.

O personagem, , vivido pelo ator Ryan Reynolds, é um piloto de provas arrogante, filho de outro aviador morto em um acidente aéreo. Ao testar até o limite um novo caça, passa a sentir sintomas estranhos, com a imagem do pai insistindo em voltar à sua memória. Ele, que sempre foi destemido, repentinamente se sente inseguro e amedrontado. Travado em suas ações, consegue com dificuldades ser ejetado do aparelho, antes da queda.

Arrasado, Hal não consegue explicar à sua parceira de provas o que aconteceu. E começa a duvidar de suas habilidades. Pior, sente que o medo está tomando conta de suas emoções.

Em outro planeta, uma legião de protetores do universo, conhecidos como Lanternas Verdes, se depara com um poderoso inimigo, Parallax, que se fortalece com a energia de cor amarela gerada pelo medo. Fica tão poderoso que os Lanternas não conseguem contê-lo com sua arma poderosa, um anel que emite uma energia esverdeada.

Ao fugir de Parallax, a nave do líder dos Lanternas Verdes cai na Terra. Gravemente ferido, ele precisa escolher um humano corajoso a quem passará o anel e a difícil missão de se juntar aos demais Lanternas para barrar Parallax. E o eleito é o piloto, que demora a entender os motivos de sua escolha, pois não se considera à altura da missão.

Os novos poderes do herói, adquiridos com o uso do anel, são traduzidos em efeitos especiais curiosos, mas que se tornam chatos com a repetição. A luz emitida cria objetos insólitos e verdes usados pelo personagem como armas de proteção e defesa. Ao tentar impedir a queda de um helicóptero, por exemplo, o anel cria um carro e uma pista que conduzem a aeronave a um pouso mais seguro durante uma festa com dezenas de pessoas.

Resta saber se a luz verde atrairá os brasileiros aos cinemas e dará sua contribuição para que a bilheteria local ajude a reduzir o prejuízo. Os produtores precisam de muitas notinhas verdes para deixar de sorrir amarelo.   Continuação...

 
Ryan Reynolds, que interpreta Hal Jordan em "Lanterna Verde", posa na estréia do filme em Hollywood, Estados Unidos, em junho. 15/06/2011  REUTERS/Mario Anzuoni