Irmãos do Oasis vão ao tribunal para resolver antigas disputas

sexta-feira, 19 de agosto de 2011 14:37 BRT
 

Por Mike Collett-White

LONDRES (Reuters) - Os irmãos Gallagher, que foram um sucesso do pop britânico nos anos 1990 quando estavam juntos na banda de rock Oasis, levaram sua guerra verbal cada vez mais amarga ao tribunal.

O irmão mais novo Liam, ex-vocalista do grupo e que hoje integra o Bready Eye, emitiu um comunicado nesta sexta-feira confirmando que estava processando o compositor e guitarrista Noel por comentários que ele fez sobre o motivo do rompimento da banda, em 2009.

Noel, de 44 anos, que fez os comentários durante uma coletiva de imprensa em julho, no qual anunciou o lançamento de sua carreira solo, não tinha comentários imediatos para fazer sobre o processo no Tribunal Superior de Londres, disse seu porta-voz.

Liam disse em seu comunicado: "Eu tomei medidas legais contra Noel Gallagher por afirmações que ele fez durante a coletiva de imprensa Electric Cinema em 6 de julho, no qual ele alega que o Oasis cancelou seu show no 5o Festival Chelmsford de 2009 porque eu estava de ressaca."

"Isso é uma mentira e eu quero que os fãs do Oasis, e os outros que estavam (no show), saibam a verdade."

Ele explicou que ficou "angustiado" depois que teve de se retirar do evento, e que o real motivo foi laringite, como foi diagnosticado pelo médico e explicado a Noel.

"Noel também afirmou falsamente que o fim do Oasis ocorreu depois de uma enorme discussão, no qual ele alegou que eu havia exigido divulgar minha marca de roupas Pretty Green na programação da turnê do Oasis", afirmou.

"A verdade é que não houve tal discussão ou briga entre nós. Existem muitas razões pelas quais o Oasis se separou. Mas não tem nada a ver com a minha marca."   Continuação...

 
Ex-vocalista do Oasis, Liam Gallagher, durante coletiva de imprensa em Moscou, em junho. Os irmãos Gallagher, que foram um sucesso do pop britânico nos anos 1990 quando estavam juntos na banda de rock Oasis, levaram sua guerra verbal cada vez mais amarga ao tribunal. 03/06/2011 REUTERS/Alexander Natruskin