ESTREIA-"Reino dos Felinos" mostra vida selvagem no Quênia

quinta-feira, 25 de agosto de 2011 11:41 BRT
 

SÃO PAULO (Reuters) - Quando transformou seu trabalho de 13 meses seguindo aves na Antártida no delicado "A Marcha dos Pinguins", o biólogo francês Luc Jacquet abriu as portas do cinema para muitos outros cineastas da natureza, por assim dizer. E não se fala, aqui, de documentários sobre a vida natural, gênero de que o próprio Walt Disney foi pioneiro na década de 1940 ("Seal Island", de 1949), mas de uma moderna prática de humanizar os animais retratados.

Na produção francesa, por exemplo, o casal de pinguins e seu filhote ganharam vozes de atores para aumentar a carga dramática. Já em "Reino dos Felinos", que estreia exclusivamente na rede Cinemark, os diretores Alastair Fothergill ("Terra") e Keith Scholey preferiram dar nomes e contar à plateia sobre os sentimentos dos tais felinos.

Filmado na Reserva Nacional de Masai Mara, no Quênia, este novo documentário da Disneynature mostra o dia a dia da leoa Mara, da mãe guepardo Sita e de Kali, um leão banido de seu grupo, que volta para tomar o lugar do macho alfa. As fantásticas imagens captadas, por si só, valeriam o ingresso. Mas não satisfeitos com o resultado, os diretores resolveram ampliar o drama no texto.

Narrado originalmente pelo ator Samuel L. Jackson, o filme torna-se um novelão arrastado, com frases de efeito, muitas delas voltadas ao público infantil. E situações não faltam: a leoa Mara tem uma "mãe" doente, que se sacrifica pela "filha"; motivo suficiente para a máxima "não há laço mais forte do que o de uma leoa com seu filhote".

Em outro caso, a fêmea guepardo, Sita, precisa enfrentar todos os perigos que cercam os seus cinco e indefesos filhotes. Mas todo o suspense é quebrado com as intervenções narrativas e seus tolos eufemismos, que trocam "predadores" por "valentões". Em determinado momento, quando uma tartaruga azarada cai nas garras dos filhotes e é praticamente torturada, no texto significa que ela encontrou "novos amigos para brincar".

A estreia de "Reino dos Felinos" está casada com o relançamento, agora em 3D, do clássico dos estúdios Disney "O Rei Leão" (1994). Curiosamente, quando colocados lado a lado, a animação parece ser menos infantil do que o documentário. E menos cafona também, o que é uma tarefa bem difícil quando se lembra da música "Circle of Life" na trilha sonora do desenho.

(Por Rodrigo Zavala, do Cineweb)

* As opiniões expressas são responsabilidade do Cineweb