Mel Gibson e Oksana Grigorieva acordam custódia de filha

sábado, 27 de agosto de 2011 11:21 BRT
 

Por Bob Tourtellotte

LOS ANGELES (Reuters) - Mel Gibson e sua ex-namorada acertaram na sexta-feira uma disputa amarga pela custódia de sua filha, o que levou o ganhador do Oscar a não contestar a acusação de violência doméstica no começo deste ano.

O tribunal superior de Los Angeles disse em um comunicado que um acordo foi finalizado e que os termos serão divulgados em 31 de agosto. Um porta-voz do diretor de "Coração Valente" confirmou que as partes se entenderam. "Agradecemos toda a ajuda do juiz", disse ele em uma declaração.

Não ficou claro se o acerto entre Gibson e Oksana Grigorieva sobre a custódia de sua filha Lucia resolveu todos os problemas legais entre os dois. O porta-voz de Gibson se recusou a fazer mais comentários.

Gibson e Grigorieva tiveram um longo relacionamento, que envolveu o fim do casamento dele e o nascimento da filha dos dois, mas que começou a degringolar no início de 2010. Grigorieva alega que Gibson a esmurrou e quebrou um dente dela durante uma discussão acalorada em janeiro daquele ano.

Em março, o realizador de "A Paixão de Cristo" admitiu diante de um juiz que estapeou Grigorieva com a mão aberta durante uma discussão na qual estava preocupado com a segurança de Lucia. Ele não contestou a acusação - o que equivale a culpa - e foi sentenciado a três anos de liberdade condicional.

Gibson alegou que Grigorieva tentou extorquir dinheiro dele além dos 20 milhões de dólares do acordo resultante de sua separação usando uma série de gravações em áudio de insultos e ofensas raciais contra ela pelo telefone. Os promotores se recusaram a levar a acusação adiante.

As gravações, publicadas no ano passado no site de celebridades Radaronline.com, prejudicaram a carreira de Gibson. Seu empresário o deixou, o lançamento de um filme foi adiado e outras pessoas se recusaram a trabalhar com ele.

Pouco mais de um mês depois, Gibson disse em uma entrevista à TV que vê o vazamento das ligações telefônicas como uma "traição pessoal".