Filme "Shame" traz história de compulsão por sexo a Veneza

domingo, 4 de setembro de 2011 16:24 BRT
 

Por Silvia Aloisi

VENEZA (Reuters) - O ator irlandês Michael Fassbender representa um viciado em sexo em "Shame" (vergonha), um filme do vídeo artista britânico Steve McQueen que disputa o prêmio máximo no festival de Veneza.

É o segundo papel de protagonista para Fassbender em um filme da mostra competitiva no festival deste ano. Ele também representou o psicanalista Carl Jung no filme de David Cronenberg "A Dangerous Method" (um método perigoso).

Em Shame, o alemão Fassbender é Brandon, um charmoso executivo de trinta e poucos anos morando em Nova York cuja única distração é seduzir mulheres, se masturbar em casa ou no escritório e buscar sexo na Internet.

O ritmo da sua vida começa a desmoronar quando sua carente irmã Sissy, representada por Carey Mulligan, chega para uma visita surpresa.

Sua presença e desejo pela atenção de Brandon desorganizam ainda mais existência solitária do executivo, e sua única saída parece ser rondar pelas ruas à noite em busca de novas aventuras sexuais.

Fassbender, cuja atuação foi muito aplaudida depois de uma exibição do filme à imprensa no domingo, disse que participar das cenas sexuais do filme não foi fácil.

"Sim, foi desconfortável fazer as cenas de sexo", afirmou. "O mais importante foi que todos os envolvidos se sentiram o mais confortável que puderam. E eles simplesmente se lançaram e fizeram o que tinha de ser feito, então não tivemos de repetir muitas tomadas."

McQueen, cujo filme de estreia foi o aplaudido "Hunger", sobre os últimos meses do ativista do IRA Bobby Sands na prisão Maze, de Belfast, disse ver similaridades entre os dois filmes. Hunger também tinha Fassbender como protagonista.

"Hunger claramente era um filme político, mas Shame também é político. Aquele era sobre uma prisão na Irlanda do Norte, esse é sobre como a liberdade de alguém pode aprisioná-lo e eles precisam de um vício para atenuar uma dor, como nossas vidas têm sido alteradas pela Internet", afirmou.

 
O diretor Steve McQueen posa em sessão de fotos de seu filme "Shame", no 68o Festival de Veneza. 04/09/2011 REUTERS/Alessandro Bianchi