6 de Setembro de 2011 / às 18:04 / 6 anos atrás

Rússia reencena batalha para comemorar vitória sobre Napoleão

Por John Bowker

BORODINO, Rússia (Reuters) - Três disparos estrondosos para o ar, unidades da cavalaria galopando pela floresta e vários milhares de expectadores russos berram de felicidade.

A Batalha de Borodino - versão 2011 - começou.

Uma casa de palha em chamas dá a senha para a fase seguinte das manobras, enquanto as tropas francesas sob a direção do imperador Napoleão tomam um ribeirão e tentam afastar seus inimigos russos.

Essa é a reedição anual da Batalha de Borodino, ocorrida em 1812, entre a Rússia e o Exército francês invasor, protagonizada por centenas de atores voluntários e militares entusiasmados em um campo cerca de 120 quilômetros a oeste de Moscou.

A Abertura 1812, de Tchaikovsky, é tocada em alto e bom som pelos alto-falantes, os participantes atiram uns nos outros com fogo de canhão e confrontam-se montados a cavalo.

“Essa foi a nossa grande vitória. Napoleão tinha conquistado o mundo inteiro, com a exceção da Grã-Bretanha”, disse o espectador Oleg Ovchinnikov, de 38 anos, que assistia à representação da batalha pela oitava vez.

Historiadores estimam que mais de 250 mil soldados envolveram-se no conflito real, com 70 mil mortes dos dois lados.

Embora se considere que os franceses tenham vencido a batalha, quase dois séculos depois ela passou a ser vista como uma vitória russa - um sucesso comemorado com a reencenação da batalha todos os anos por volta do 7 de setembro.

O custo humano da vitória mostrou-se grande demais para a França. Napoleão pouco depois bateu em retirada, perseguido pelo Exército russo até a fronteira.

“Claro que este é um dia muito importante - essa foi a primeira grande guerra para a Rússia”, disse Júlia, de 14 anos, que viajou de Moscou com amigos para assistir à encenação.

A descrição do próprio Napoleão sobre a batalha serve apenas para alimentar o patriotismo russo e o entusiasmo pelo evento: “Das 50 batalhas que combati, a mais terrível foi ante Moscou. Os franceses mostraram ser vitoriosos por mérito e os russos podem com justiça se chamar de invencíveis”, escreveu ele.

Reportagem de John Bowker

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below