John Galliano é multado em 6.000 euros por frases antissemitas

quinta-feira, 8 de setembro de 2011 14:29 BRT
 

Por Nick Vinocur e Thierry Leveque

PARIS (Reuters) - Um tribunal francês impôs nesta quinta-feira uma multa de 6.000 euros ao estilista John Galliano por causa de declarações antissemitas que ele fez no ano passado, e que lhe custaram seu emprego na grife Dior.

A multa ficará suspensa e não será cobrada se ele se comportar bem pelos próximos anos. Mesmo que isso não ocorra, seu valor é irrisório diante da fortuna atribuída ao estilista.

A promotoria havia recomendado em junho essa penalidade, bem abaixo da sentença máxima para casos como esses - multa de 22 mil euros e pena de 6 meses de prisão.

"Apesar da tripla dependência da qual ele estava sofrendo, ele estava suficientemente lúcido para ter consciência dos seus atos", disse a juíza Anne-Marie Sauteraud, lendo a decisão da corte.

O tribunal disse que a sentença foi relativamente branda porque Galliano não tinha antecedentes criminais, sempre havia demonstrado respeito e tolerância, e decidiu se tratar do vício em drogas e álcool depois de ser preso.

A juíza disse também que o réu avisou que não iria à leitura da sentença para evitar um confronto com a imprensa.

Além da multa, Galliano foi condenado também a pagar mais de 5.000 euros em custas judiciais, além de 1 euro em indenização simbólica a cada uma das partes acusadoras.

O estilista britânico foi filmado no ano passado em um bar sofisticado de Paris, fazendo insultos antissemitas contra um casal. O incidente causou um grave dano à sua reputação, gerando críticas de personalidades como Karl Lagerfeld e Natalie Portman.   Continuação...

 
O advogado Aurelien Hamelle (C), que representa o estilista John Galliano, fala à imprensa após o veredito do julgamento por conta de declarações antissemitas que fez ano passado. O tribunal francês impôs uma multa de 6.000 euros ao estilista, nesta quinta-feira, em Paris. 08/09/2011 REUTERS/Charles Platiau