Artistas elogiam extensão dos direitos autorais de músicas na UE

segunda-feira, 12 de setembro de 2011 12:55 BRT
 

LONDRES (Reuters) - Artistas elogiaram uma decisão europeia de estender os direitos autorais para registros de músicas de 50 para 70 anos, depois de uma campanha que durou anos e que incluiu artistas como Paul McCartney e Cliff Richard, os quais corriam o risco de verem seus direitos expirarem enquanto ainda estivessem vivos.

A medida vai ajudar a indústria da música a recuperar parte da receita perdida enquanto luta para responder à revolução digital que permitiu ampla pirataria musical na internet com o crescimento da distribuição online.

"Num momento em que alguns interesses buscam enfraquecer os direitos autorais para seus próprios propósitos, isso envia uma mensagem importante de que o direito dos criadores de ganhar a vida é levado a sério pela UE", afirmou a Associação das Empresas Independentes de Música.

A venda das gravações musicais no mundo caiu 9 por cento no ano passado, passando a 15,9 bilhões de dólares.

"A União Europeia finalmente agiu para dar aos artistas e músicos na Europa um período maior de proteção para garantir que eles se beneficiem de seus trabalhos, pelo menos enquanto viverem", disse o ex-cantor e compositor do grupo ABBA Bjorn Ulvaeus. "Agora não terei que ver o ABBA ser usado em um comercial de televisão."

"Esse é um grande passo para os artistas", declarou o agente do U2 Paul McGuinness. "Quase 40.000 artistas assinaram uma petição para essa mudança e passaram uma mensagem em alto e bom som que os políticos escutaram."

(Reportagem de Georgina Prodhan)

 
Paul McCartney chega à comemoração do quinto aniversário do show "The Beatles LOVE by Cirque du Soleil" em Las Vegas, Nevada. Artistas elogiaram uma decisão europeia de estender os direitos autorais para registros de músicas de 50 para 70 anos, depois de uma campanha que durou anos e que incluiu artistas como Paul McCartney e Cliff Richard, os quais corriam o risco de verem seus direitos expirarem enquanto ainda estivessem vivos.
08/06/2011  REUTERS/Steve Marcus