Playboy chega às bancas dos EUA em estilo retrô e menor preço

segunda-feira, 12 de setembro de 2011 12:52 BRT
 

Por Bob Tourtellotte

LOS ANGELES (Reuters) - Essa foi uma das épocas mais excitantes da vida do fundador da Playboy, Hugh Hefner, então, o que poderia ser melhor em uma economia ruim do que recordar os bons tempos da década de 1960 e dar aos leitores uma folga no preço da sua revista?

Hefner está reduzindo o valor da edição de outubro da Playboy nos Estados Unidos, que chega às bancas na sexta-feira custando 60 centavos. Seus editores fizeram a revista, que é voltada para o público masculino, ter a aparência retrô de 1961, quando o primeiro Clube Playboy foi fundado, e a relacionaram ao início do programa de televisão "The Playboy Club", colocando a estrela Laura Benanti na capa - e nas páginas internas.

"É difícil colocar em palavras o fato de que, obviamente, tudo mudou para mim naquele período de tempo", disse Hefner à Reuters.

O octogenário conhecido como "Hef", que encarna um estilo de vida de clubes noturnos elegantes, festas selvagens, moda masculina, liberdade de expressão e, é claro, mulheres nuas, disse que seis anos depois de ele ter fundado a revista, em 1953, sua vida mudou rapidamente.

A revista, cujo maior sucesso foi a publicação de fotos nuas de Marilyn Monroe, era, naquela época, lida por milhões. Do final de 1959 até o final dos anos 1960, Hefner realizou seu primeiro festival de jazz, apresentou seu primeiro programa de televisão e inaugurou sua Mansão Playboy em Chicago.

"Esses foram alguns dos melhores e mais românticos anos da minha vida", disse Hef.

A Playboy faz mais dinheiro com a venda de assinaturas, e Hef diz esperar cobrir os prejuízos com um aumento da publicidade.

O diretor editorial Jimmy Jellinek disse que as páginas de anúncios aumentaram 70 por cento na edição de outubro, comparado com a do ano passado. Além disso, a revista vem atraindo novos anunciantes em moda, decoração e entretenimento.   Continuação...