Carnaval chinês é proibido após protesto contra consumo de cães

quarta-feira, 21 de setembro de 2011 12:08 BRT
 

PEQUIM (Reuters) - O governo chinês proibiu um carnaval tradicional no leste do país, durante o qual cachorros são comidos depois de serem cortados vivos na rua. As autoridades agiram em resposta a uma manifestação pública acusando o festival de ser cruel, informou a mídia estatal nesta quarta-feira.

A tradição em Qianxi, na rica província costeira de Zhejiang, existe há 600 anos para comemorar uma vitória militar local e é normalmente realizada em outubro, informou a agência de notícias Xinhua.

"A antiga feira foi substituída por uma feira moderna nos anos 1980, mas foi mantida a tradição de comer cachorros", informou.

"No entanto, vendedores começaram a abater cachorros em público alguns anos atrás para mostrar que a carne era fresca e segura, como forma de garantir a qualidade aos compradores preocupados com a possibilidade de a carne ser preservada em geladeiras ou mesmo contaminada."

Fotos que circularam pela Internet por meio de sites de microblogue tiveram um impacto tão grande que o governo cedeu às demandas pela proibição do festival, disse a Xinhua.

"A rápida resposta do governo deve ser incentivada. Eu espero que comer cachorros não seja mais um costume. Não é um carnaval, mas um massacre", disse um internauta citado pela agência de notícias.

(Reportagem de Ben Blanchard)