Sean Penn se empenhou para libertar americanos presos no Irã

sexta-feira, 23 de setembro de 2011 16:06 BRT
 

CARACAS (Reuters) - O ator Sean Penn se empenhou para conseguir a libertação dos dois norte-americanos que estavam presos no Irã havia dois anos e foram libertados esta semana, tendo ido à Venezuela pedir a intervenção do presidente Hugo Chávez no caso, disse nesta sexta-feira uma fonte que acompanhou o processo.

Desde que o Irã soltou Josh Fattal e Shane Bauer na quarta-feira estão emergindo detalhes dos esforços para obter sua libertação, os quais envolveram a ONU, o Iraque e Omã -- bem como o próprio Chávez, um crítico feroz dos Estados Unidos.

O vice-chanceler da Venezuela disse à Reuters na quinta-feira que Chávez tocou no assunto com o presidente iraniano, Mahmoud Ahmadinejad, que é seu aliado, depois de ter sido alertado para a situação dos dois norte-americanos por amigos de "círculos intelectuais" dos EUA.

"O intelectual americano que levou o caso para ele foi Sean Penn", afirmou a fonte à Reuters. "Penn estava muito empenhado no caso... Ele voou para Carcas há vários meses para falar sobre isso com Chávez e se manteve empenhado", disse a fonte.

A porta-voz de Penn nos EUA confirmou o relato, mas não deu mais detalhes.

Os dois norte-americanos foram presos em julho de 2009 na fronteira com o Iraque e condenados por espionagem. Eles alegaram que estavam caminhando no territorio iraquiano.

Conhecido por seu ativismo político e social, Penn ganhou o Oscar por sua atuação em "Sobre meninos e Lobos", em 2003, e pelo papel de um político gay em "Milk - A Voz da Igualdade", em 2008.

Ator, roteirista e diretor de filmes, Penn foi um forte crítico do governo do ex-presidente George W. Bush e se envolveu em esforços humanitários depois do terremoto do Haiti e do furacão Katrina, nos EUA.

Em janeiro, Chávez brincou dizendo que o governo norte-americano deveria pôr fim ao impasse na área diplomática com a Venezuela indicando Sean Pen, Bill Clinton ou o diretor de cinema Oliver Stone para o cargo de embaixador em Caracas. "Temos muitos amigos lá", afirmou Chávez. .   Continuação...