Atriz australiana Diane Cilento morre aos 78

sexta-feira, 7 de outubro de 2011 10:48 BRT
 

LONDRES (Reuters) - A atriz australiana Diane Cilento, indicada ao Oscar na década de 1960 por seu papel em "Tom Jones" e ex-mulher de Sean Connery, morreu na noite de quinta-feira em um hospital de Cairns, na Austrália, após uma prolongada doença, segundo a imprensa local. Ela tinha 78 anos.

Cilento nasceu em uma família de médicos na localidade de Mooloolaba, Estado de Queensland, em 1933. Na década de 1950, estudou na Real Academia de Artes Dramáticas, em Londres.

Atuou no teatro e no cinema, e foi indicada ao Oscar de atriz coadjuvante em 1963 pelo papel de Molly, no filme "Tom Jones", que ganhou os prêmios de melhor filme e melhor diretor.

Em 1962, depois de um primeiro casamento fracassado, ela se uniu a Connery, ator escocês conhecido por interpretar o agente James Bond nas telas. O casal teve um filho, Jason, e se divorciou em 1973.

Em 1985, ela se casaria pela terceira vez, com o dramaturgo e roteirista Anthony Shaffer, morto em 2001. Ela havia atuado em "O Homem de Palha" (1973), de autoria dele.

Na década de 1980, ela criou um teatro ao ar livre, o Karnak Playhouse, e em 2006 lançou uma autobiografia, "My Nine Lives".

O dramaturgo Michael Gow, amigo dela, disse à emissora australiana ABC que esteve com Cilento em um jantar no fim de semana passado.

"Ela foi uma artista até o final, e fez uma grande apresentação para todos os convidados daquele jantar", contou. "Ela nos manteve enormemente entretidos até anteontem, quando simplesmente não conseguia mais e nós a levamos para o hospital."

A causa da morte não foi divulgada.

(Reportagem de Mike Collett-White)