Em meio a polêmica, Julian Barnes é favorito a prêmio Man Booker

segunda-feira, 17 de outubro de 2011 13:02 BRST
 

Por Mike Collett-White

LONDRES (Reuters) - O escritor inglês Julian Barnes, quatro vezes indicado ao prêmio Man Booker de ficção, mas que já chamou a premiação e um "bingo chique", é visto como favorito para recebê-lo na terça-feira por seu romance "The Sense of an Ending".

O prêmio entregue anualmente a um escritor de língua inglesa de países da Comunidade Britânica, Irlanda ou Zimbábue é um dos grandes eventos do calendário editorial, assinalando um aumento importante de publicidade e vendas para os autores finalistas e as obras premiadas.

Ele também representa uma oportunidade para os leitores britânicos exprimirem suas queixas sobre os escritores indicados ou não e questionarem a capacidade dos jurados de escolherem o vencedor mais indicado.

Essas críticas vêm sendo especialmente fortes este ano, levando a presidente do júri, Stella Rimington, a contra-atacar, desancando os críticos que acusaram o prêmio de populismo e lançaram um prêmio rival, o Prêmio de Literatura.

O júri do novo prêmio, cujo porta-voz é o agente literário Andrew Kidd, disse em comunicado que o Booker "hoje prioriza a noção de 'legibilidade', em detrimento do mérito artístico".

Leo Robson, crítico da revista New Statesman, escreveu recentemente: "Se as coisas continuarem como estão, não é difícil imaginar um tempo em que o Man Booker será visto não como maneira de celebrar romances, mas de vendê-los, apenas".

Stella Rimington, ex-chefe de espionagem britânica que passou a escrever romances, fez uma defesa acirrada dos jurados deste ano em entrevista que concedeu recentemente ao jornal The Guardian.

"Como uma pessoa interessada na crítica literária, acho patética a maneira como supostos críticos literários andam insultando meus jurados e a mim", disse ela ao jornal.   Continuação...