Susan Sarandon chama papa Bento 16 de nazista, segundo jornal

segunda-feira, 17 de outubro de 2011 19:19 BRST
 

LOS ANGELES (Reuters) - A atriz e ativista social Susan Sarandon teria chamado o papa Bento 16 de nazista durante uma discussão pública em um festival de cinema norte-americano em Nova York.

A estrela de cinema, que ganhou um Oscar por seu papel no filme de 1995 contra a pena de morte "Os Últimos Passos de um Homem", disse ter enviado ao papa uma cópia do livro no qual o filme foi baseado.

"Para o último (papa). Não esse nazista que temos agora", ela teria dito ao jornal nova-iorquino New York Newsday.

A observação foi feita no sábado em uma entrevista realizada pelo colega e ator Bob Balaban sobre a carreira de Susan durante o Festival de Cinema de Hamptons.

O Newsday informou que Balaban gentilmente repreendeu Susan pela declaração, mas ela repetiu.

O agente da atriz em Hollywood não respondeu imediatamente às ligações para comentar o assunto nesta segunda-feira.

O papa Bento 16, nascido na Alemanha como Joseph Ratzinger, foi brevemente um membro da Juventude Hitlerista no início dos anos 1940, quando a adesão era obrigatória, informou o Vaticano.

Ele abandonou o Exército durante a Segunda Guerra Mundial e disse que como católicos devotos, seus pais rejeitavam a ideologia nazista.

Sarandon, de 65 anos, que foi criada em Nova York como uma católica romana, é conhecida por seu apoio a causas que vão desde a fome e a Aids à oposição à guerra liderada pelos Estados Unidos no Iraque.

A estrela de "Thelma e Louise" foi nomeada Embaixadora da Boa Vontade do Unicef em 1999.

(Reportagem de Jill Serjeant)