Esqueça "Frasier": Kelsey Grammer agora é o soturno "Boss"

terça-feira, 18 de outubro de 2011 12:42 BRST
 

Por Jill Serjeant

LOS ANGELES (Reuters) - Kelsey Grammer não quer desencorajar o público de assistir a seu novo e sombrio drama televisivo "Boss" fazendo comparações com Shakespeare. Mas não consegue se conter.

O implacável e ambicioso prefeito de Chicago, Tom Kane, que Grammer representa no novo seriado, é uma mudança grande em relação ao jocoso "Frasier" que lhe garantiu 20 anos de sucesso na TV.

Ele diz que "Boss" é uma história de traições, intrigas, violência e de um homem que corre o risco de perder seu reino.

"É o tipo de coisa classicamente shakespeareana", disse, observando que seu início como ator foi no teatro, atuando em tragédias - muitas delas de Shakespeare.

"Este personagem é complexo, interessante, divertido de representar e sombrio. Logo, estou muito feliz", disse.

Grammer, de 56 anos, ainda é conhecido pelo papel do arrogante psiquiatra Dr. Frasier Crane nas comédias de sucesso "Cheers" e "Frasier", que lhe valeram quatro prêmios Emmy.

Mas essa imagem será apagada nos momentos iniciais de "Boss", numa tomada longa em que o personagem de Grammer ouve em silêncio um médico lhe informar que ele tem uma desordem cerebral degenerativa.

"Quando as pessoas assistirem à tomada inicial, vão se esquecer do passado. A atuação de Kelsey neste seriado é mesmerizante. É inovadora e profundamente convincente", disse Farhad Safinia, criador de "Boss".   Continuação...

 
Kelsey Grammer durante sessão sobre a série de TV "Boss", em uma turnê da associação de críticos da televisão americana, em Beverly Hills, na Califórnia. 29/06/2011   REUTERS/Mario Anzuoni