Toby Keith não mede as palavras em suas canções

quarta-feira, 19 de outubro de 2011 11:53 BRST
 

Por Vernell Hackett

NASHVILLE, EUA (Reuters) - Toby Keith cresceu no Oklahoma, onde o aperto de mão de um homem é sua palavra, a família tem importância máxima e as opiniões dos outros são bem-vindas.

Keith nunca foi tímido quando se trata de sua música, ousadia que lhe foi benéfica ao longo dos anos e ainda hoje, quando se aproxima o lançamento de seu novo álbum, "Clancy's Tavern", em 24 de outubro.

Quando era artista iniciante, Keith pediu para ser liberado do contrato que tinha com a Mercury Records, quando os executivos da gravadora não gostaram de seu álbum "How Do You Like Me Now?", pensando que as mulheres achariam desrespeitosa a letra da faixa-título.

Mas "How Do You Like Me Now?" acabou por virar disco de ouro, vendendo mais de 500 mil exemplares, e Toby Keith vendeu 25 milhões de álbuns para seu novo selo, Dreamworks.

Keith contou à Reuters sobre o dia em que disse ao chefe da Mercury, Luke Lewis, que queria afastar-se do selo e pediu seu álbum de volta.

"Ele me perguntou 'você acredita tanto assim nesse álbum?', e eu falei que sim. Duas horas depois meu contador fez um cheque, fui lá buscar a fita master, e deixei a gravadora."

Keith, que tem 50 anos, chefia seu próprio selo, a Show Dog/Universal, desde 2004 e possui vários empreendimentos. Seu lançamento mais recente, "Made in America", está perto do topo da parada de singles da Billboard.

A revista Forbes apontou Keith como o artista country que mais ganhou no ano passado, avaliando seus rendimentos em 50 milhões de dólares.   Continuação...