October 19, 2011 / 1:57 PM / 6 years ago

Toby Keith não mede as palavras em suas canções

3 Min, DE LEITURA

Por Vernell Hackett

NASHVILLE, EUA (Reuters) - Toby Keith cresceu no Oklahoma, onde o aperto de mão de um homem é sua palavra, a família tem importância máxima e as opiniões dos outros são bem-vindas.

Keith nunca foi tímido quando se trata de sua música, ousadia que lhe foi benéfica ao longo dos anos e ainda hoje, quando se aproxima o lançamento de seu novo álbum, "Clancy's Tavern", em 24 de outubro.

Quando era artista iniciante, Keith pediu para ser liberado do contrato que tinha com a Mercury Records, quando os executivos da gravadora não gostaram de seu álbum "How Do You Like Me Now?", pensando que as mulheres achariam desrespeitosa a letra da faixa-título.

Mas "How Do You Like Me Now?" acabou por virar disco de ouro, vendendo mais de 500 mil exemplares, e Toby Keith vendeu 25 milhões de álbuns para seu novo selo, Dreamworks.

Keith contou à Reuters sobre o dia em que disse ao chefe da Mercury, Luke Lewis, que queria afastar-se do selo e pediu seu álbum de volta.

"Ele me perguntou 'você acredita tanto assim nesse álbum?', e eu falei que sim. Duas horas depois meu contador fez um cheque, fui lá buscar a fita master, e deixei a gravadora."

Keith, que tem 50 anos, chefia seu próprio selo, a Show Dog/Universal, desde 2004 e possui vários empreendimentos. Seu lançamento mais recente, "Made in America", está perto do topo da parada de singles da Billboard.

A revista Forbes apontou Keith como o artista country que mais ganhou no ano passado, avaliando seus rendimentos em 50 milhões de dólares.

Seus empreendimentos incluem a cadeia de restaurantes "I Love This Bar and Grill" e o aguardente de mezcal "Wild Shot", importado do México.

"Eu não paro para respirar desde 1993. Nunca faltei a uma turnê, nem deixei de lançar um álbum ou tirei um dia de folga. É por isso que estamos na Forbes - por causa dessa ética de trabalho."

Toby Keith vai lançar seu novo CD, "Clancy's Tavern", na próxima segunda-feira. A canção-título conta história de sua avó e da taverna dela, onde ele se apaixonou pela música.

"O marido dela morreu e a deixou com três filhos, o mais velho com 4 anos. Ela deixou as crianças com os pais dela e foi para Fort Smith, Arkansas, onde trabalhou como gerente de fábrica da Dixie Cup Factory", contou Keith.

"Era inusitado uma mulher fazer isso nos anos 1950."

Clancy - o apelido lhe foi dado por seu segundo marido - também trabalhava por algumas horas em um bar e acabou comprando o clube onde Toby Keith pegou gosto pela música.

"Os personagens são reais. Havia um sujeito negro chamado Elmo que cozinhava, e a melhor amiga de Clancy, Lillie, fazia o trabalho que antes era de Clancy. A canção relata a verdade, até a parte sobre ela levar a pistola e o dinheiro ao banco."

O cantor embarca para a Europa no final de outubro para divulgar "Clancy's Tavern", fazendo sua primeira escala em Edimburgo em 30 de outubro.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below