Promotoria encerra interrogatório de testemunhas em caso Jackson

segunda-feira, 24 de outubro de 2011 17:09 BRST
 

LOS ANGELES (Reuters) - Os promotores concluíram nesta segunda-feira o interrogatório de suas testemunhas no julgamento contra o médico de Michael Jackson, após quase quatro semanas de depoimentos e provas contra o homem acusado de homicídio culposo na morte do "rei do pop" em 2009.

A última testemunha a depor para a promotoria no julgamento do médico Conrad Murray foi o também médico Steven Shafer, que tem sido uma testemunha-chave para os promotores, dizendo ao júri que Murray nunca deveria ter dado a Jackson o poderoso anestésico propofol como ajuda para ele dormir.

Murray admitiu ter dado propofol a Jackson. A droga teve papel-chave na causa da overdose do cantor de "Thriller" em sua mansão, mas os advogados de defesa argumentaram que Jackson deu a si mesmo uma dose extra e fatal da droga quando Murray estava ausente.

Os advogados de Murray devem chamar a primeira testemunha da defesa ainda nesta segunda-feira. Eles disseram ao juiz Michael Pastor do Tribunal Superior de Los Angeles que esperam terminar a apresentação de seu caso na quinta-feira.

Murray, que se declarou inocente da acusação de homicídio culposo, enfrenta um máximo de quatro anos de prisão se for condenado.