Entidade beneficente ataca Cowell por grupo do "The X Factor"

quarta-feira, 26 de outubro de 2011 15:33 BRST
 

LONDRES (Reuters) - Simon Cowell foi criticado na quarta-feira pela entidade beneficente musical britânica Rhythmix por tentar registrar o nome da instituição para ser usada por uma banda de garotas que ele está promovendo no concurso musical "The X Factor."

A organização Rhythmix, que existe há 12 anos em Brighton, dá aulas de música a infratores juvenis e outros jovens carentes no sudeste da Inglaterra. Ela pediu a Cowell e sua empresa de entretenimento, a Simco Ltd., que desista dos esforços recentes para registrar o nome Rhythmix como marca registrada na Europa.

Em carta aberta a Simon Cowell, publicada na quarta-feira no Facebook, o executivo-chefe da Rhythmix, Mark Davyd, afirmou: "Simon, estamos pedindo a você pessoalmente que resolva este problema da maneira mais rápida e simples: mude o nome da banda."

De acordo com seu site na internet, a entidade Rhythmix foi criada em 1999 e desde então já ofereceu aulas e programas de música a 40 mil pessoas.

"Rhythmix" é também o nome adotado por uma banda de quatro garotas que está entre os dez finalistas da temporada mais recente do programa britânico "The X Factor."

Não foi possível falar imediatamente com um representante de Simon Cowell ou da SyCo Entertainment, unidade da Sony Music que dirige o "The X Factor" em conjunto com a empresa de Cowell.

Davyd disse que sua organização está disposta a recorrer à justiça, se for preciso.

(Reportagem de Robert Lucas)