Escândalo da News Corp se alastra com prisão de repórter do Sun

sexta-feira, 4 de novembro de 2011 15:29 BRST
 

LONDRES (Reuters) - O escândalo dos grampos telefônicos envolvendo a News Corp, de Rupert Murdoch, ameaçava se espalhar para outras publicações na sexta-feira, quando fontes afirmaram que um jornalista do jornal The Sun havia sido preso acusado de subornar a polícia.

Os policiais que investigam os eventos no tabloide News of the World disseram ter prendido um homem de 48 anos em conexão com pagamentos feitos à polícia. Um porta-voz da News International, o braço britânico da News Corp, disse que um funcionário seu havia sido preso.

Duas fontes da empresa identificaram o homem como o repórter do The Sun Jamie Pyatt.

Maior jornal de circulação diária da Grã-Bretanha, o Sun é a publicação "irmã" do semanário News of the World, fechado pela News Corp após 168 anos de funcionamento no auge do escândalo em julho.

A notícia da prisão do jornalista do Sun representa um duro golpe ao grupo, que argumentava que as práticas ilegais de bisbilhotar as mensagens telefônicas das pessoas e de pagar policiais se restringiam ao News of the World.

O escândalo enfureceu os acionistas minoritários da News Corp, forçou a renúncia dos oficiais policiais do primeiro escalão britânico e causou constrangimento ao primeiro-ministro David Cameron, que havia contratado o ex-editor do News of the World para ser seu assessor de comunicação.

As revelações levaram a uma série de inquéritos policiais e processos na Justiça Civil a partir do começo deste ano, quando se soube que o popular tabloide grampeava telefones praticamente em escala industrial a fim de gerar histórias exclusivas.

Na sexta-feira, um porta-voz da polícia que investiga os grampos no News of the World afirmou que eles acreditam que o número de pessoas alvejadas pelos grampos telefônicos chegava a quase 5,8 mil - quase 2 mil a mais do que o pensado inicialmente.

O aumento da escala do problema significa que a News Corp provavelmente enfrentará uma conta muito maior para indenizar as vítimas do que o previsto originalmente. O grupo afirmou nesta semana que o custo do fechamento do News of the World chegará a 91 milhões de dólares.