Vogue escolhe as gêmeas Olsen como as irmãs mais bem-vestidas

quinta-feira, 10 de novembro de 2011 10:14 BRST
 

Por Sabrina Ford

NOVA YORK (Reuters) - Elas sempre estiveram na moda, mas as atrizes e estilistas gêmeas Mary Kate e Ashley Olsen agora estão na capa da revista Vogue, ilustrando a última edição sobre as personalidades mais bem-vestidas.

A edição amplamente lida, que foi lançada nesta quinta-feira e chega às bancas norte-americanas em 15 de novembro, foca em nove destaques entre irmãs famosas, desde a realeza britânica, representada pela duquesa de Cambridge, Kate Middleton, e sua irmã Pippa, até as cantoras-celebridades Beyoncé e Solange Knowles.

Também recebeu menção especial na revista o quarteto francês Courtin-Clarin, netas do fundador da empresa de cosméticos Clarins, Jacques Courtin-Clarin.

"Tem sido um ano de irmãs, as mais famosas sendo Catherine e Pippa Middleton", disse à Reuters Mark Holgate, diretor e editor de notícias de moda da Vogue na edição sobre as mais bem-vestidas.

Holgate disse que as Middletons deveriam receber o crédito por conseguirem difundir seu próprio comprimento de vestido: "curto o suficiente para que seja impossível o uso por membros reais da antiga geração, comprido o suficiente para ser decente quando se sentam ou se abaixam para falar com uma criança."

Mas foram as gêmeas Olsen -- que conquistaram a fama como estrelas infantis na TV norte-americana e fundaram, na fase adulta, duas grifes de luxo -- que foram escolhidas para a prestigiosa capa da revista.

Holgate disse que a escolha foi "muito óbvia".

"Existem irmãs mais chiques, estilosas e originais do que Mary Kate e Ashley Olsen? Elas são incrivelmente estilosas", disse ele sobre as gêmeas.

O fato de elas terem aparecido na lista das mais mal-vestidas no passado, inclusive em um ranking anual do falecido crítico da moda Mr. Blackwell, é, na verdade, uma coisa positiva, segundo Holgate.

"Elas acertam muitas vezes e muitas vezes elas não acertam. Isso é ótimo porque mostra que são as mãos delas escolhendo o guarda-roupas", explicou. "Elas não têm alguém dizendo 'Isso é legal, isso não é, isso é o que você deveria estar usando". Vem de dentro delas, é instintivo."