James Murdoch desconhecia dimensão dos grampos, diz jornalista

segunda-feira, 14 de novembro de 2011 16:08 BRST
 

LONDRES (Reuters) - O executivo James Murdoch, do conglomerado News Corp, desconhecia a dimensão dos grampos telefônicos encomendados por seus subordinados no extinto tabloide News of the World, disse nesta segunda-feira o ex-chefe de reportagem da publicação, Neville Thurlbeck.

Thurlbeck é uma figura central no escândalo, por ter sido citado em um email usado por críticos como prova de que a espionagem não foi um caso isolado.

O email, enviado "para Neville" incluía a transcrição de mensagens de voz em celulares grampeados, e foi decisivo para que Murdoch aceitasse pagar cerca de 750 mil libras (1,2 milhão de dólares) a um dos espionados, o dirigente do setor futebolístico Gordon Taylor.

Críticos da empresa dizem que essa vultosa quantia deveria servir para comprar o silêncio da vítima e evitar que o escândalo viesse à tona em toda a sua dimensão, já que Taylor teria uma cópia da mensagem.

Mas James Murdoch, filho do magnata da mídia Rupert Murdoch, alega reiteradamente que nunca soube da relevância desse email, e que pagou a indenização seguindo as recomendações de sua equipe jurídica.

Durante muito tempo, a News Corp. alegou que os grampos telefônicos eram feitos apenas por um repórter insubordinado, Clive Goodman, com a ajuda do detetive particular Glenn Mulcaire. Essa linha de defesa desmoronou neste ano, devido à revelação de centenas de outros casos de espionagem.

"O sr. Murdoch foi mantido no escuro e privado de evidências vitais mostrando que os grampos telefônicos eram bem mais amplos do que o caso Goodman/Mulcaire", disse Thurlbeck em declaração enviada à Reuters.

"Com base na minha experiência com a crônica falta de transparência total nos últimos dois anos e meio, o relato (de Murdoch) ao comitê CMS (comissão parlamentar de Cultura, Mídia e Esportes) me parece inteiramente plausível."

Murdoch, de 38 anos, disse na semana passada à comissão parlamentar que era inocente das acusações de ter acobertado os grampos telefônicos. Ele atribuiu a culpa ao ex-editor Colin Myler e ao ex-diretor jurídico Tom Crone.

Thurlbeck atualmente está questionando a sua demissão do jornal, que considerou injusta, e chegou a ser detido por envolvimento nos grampos. Um deputado que participou da audiência na semana passada acusou Thurlbeck, com base num relato de Crone, de ter explicado a Murdoch a relevância do email usado como prova. Thurlbeck diz ter enviado a declaração a Reuters para contestar essa versão.

A News Corp. tirou de circulação o News of the World por causa das denúncias de espionagem de caixas postais telefônicas de centenas de pessoas na Grã-Bretanha.