Tribunal da Flórida envia pai de Lindsay Lohan para tratamento

quinta-feira, 17 de novembro de 2011 09:26 BRST
 

TAMPA, EUA (Reuters) - O pai da atriz Lindsay Lohan, Michael Lohan, não contestou na quarta-feira uma acusação de violência doméstica envolvendo sua ex-namorada e foi condenado a dois anos de liberdade condicional, disse um porta-voz do Ministério Público dos EUA.

Michael Lohan, de 51 anos, terá de passar os primeiros quatro meses de sua liberdade condicional em um centro de tratamento residencial em Ft. Myers, na Flórida, sob um acordo de confissão de culpa feito com os promotores, disse o porta-voz da Promotoria do Estado de Hillsborough, Mark Cox.

Não foi especificado no tribunal que tipo de tratamento Lohan receberia.

Ele também recebeu ordens para não manter contato com Kate Major, com quem teve um relacionamento inconstante.

Lohan foi detido pela primeira vez em 25 de outubro em Tampa, depois que Kate disse ter sido agarrada e ameaçada. Ele foi libertado sob fiança no dia seguinte e recebeu ordens para não entrar em contato com Kate.

Mas em 27 de outubro, Lohan foi detido novamente depois que Kate disse que ele a estava assediando com ligações telefônicas. Quando a polícia chegou para prendê-lo em um motel, Lohan pulou de um balcão no terceiro andar para não ser levado.

Lohan apareceu recentemente no programa Celebrity Rehab, do canal de televisão norte-americano VH1. Sua filha Lindsay também enfrentou problemas legais e no começo do mês passou algumas horas na prisão de Los Angeles por infringir sua liberdade condicional, imposta por acusações de dirigir embriagada e roubo.

(Reportagem de Robert Green)