Chineses tiram roupa em protesto contra investigação de artista

segunda-feira, 21 de novembro de 2011 13:22 BRST
 

Por Sui-Lee Wee

PEQUIM (Reuters) - Primeiro foi o dinheiro dobrado em formato de aviãozinho de papel que voou sobre os muros da casa do artista chinês dissidente Ai Weiwei. Agora, a mais recente demonstração de solidariedade a Ai por parte de usuários chineses de Internet assumiu uma forma incomum de protesto: nudez em massa.

Até a tarde desta segunda-feira, 70 pessoas haviam postado fotos de si mesmas nuas em um site chamado "Nudez dos Fãs de Ai Wei -- Ouça, Governo Chinês: Nudez não é Pornografia" -- uma forma rara de protesto em um país onde a nudez pública ainda é tabu.

Eles publicaram as fotos depois que a polícia de Pequim interrogou o cinegrafista de Ai na quinta-feira por supostamente divulgar pornografia on-line, ao tirar fotos nuas de Ai e quatro mulheres.

Apoiadores de Ai, cuja detenção secreta de 81 dias no início deste ano provocou ira internacional, dizem que o questionamento sobre as fotos de nudez é o mais recente esforço da China para intimidar seu crítico social mais famoso.

O cinegrafista, Zhao Zhao, relatou que a polícia de Pequim o interrogou por cerca de quatro horas sobre os motivos por trás das fotografias.

"Eles disseram: 'Você não sabe que as fotos que você tirou são fotos obscenas?", disse Zhao à Reuters por telefone. "Eu disse: 'Eu não sabia disso' e perguntei 'como elas podem ser consideradas obscenas?' Eles disseram que as classificaram desse modo."

Ai pagou uma fiança de 8,45 milhões de iuanes (1,3 milhão de dólares) na terça-feira passada, abrindo caminho para lançar o que ele teme ser um último recurso apelativo na acusação de evasão fiscal, que seus simpatizantes consideraram vingança política. O dinheiro foi levantado em contribuições de seus apoiadores.

Wen Yunchao, que postou duas fotos de si mesmo nu no site, disse acreditar que a investigação contra o assistente de Ai foi a forma mais recente de "perseguição" contra o artista.   Continuação...