Craig defende o grotesco da versão americana de "Millennium"

terça-feira, 13 de dezembro de 2011 15:39 BRST
 

Por Mike Collett-White e Cindy Martin

LONDRES (Reuters) - Quem mais vai sair ganhando com o novo filme "Millennium - Os Homens que Não Amavam as Mulheres" serão as babás.

O ator Daniel Craig, que faz o papel do jornalista Mikael Blomkvist na adaptação de Hollywood do thriller do autor sueco Stieg Larsson (que no Brasil recebeu o nome de "Os Homens que não Amavam as Mulheres"), disse que o filme não refreava os golpes.

"É um filme adulto", disse o ator em uma entrevista para a BBC, transmitida na terça-feira. "É um filme que obriga você a pagar uma babá. Babás farão muito dinheiro com ele, eu espero. Não leve as crianças (ao cinema)."

"Millennium" estreia nos Estados Unidos em 21 de dezembro e na Grã-Bretanha no dia 26. A première em Londres será na noite de segunda-feira.

O livro que inspirou o filme vendeu dezenas de milhões de cópias em todo o mundo e em 2009 foi levado para as telas do cinema por um cineasta sueco.

Craig, de 43 anos, mais famoso por interpretar James Bond na franquia de espionagem britânica, disse que o roteirista Steven Zaillian capturou a essência da história de Larsson, convencendo-o a aceitar o papel.

Ele também defendeu a natureza grotesca do filme, que fez com que a fita fosse censurada para menores de 17 anos devido ao que a Associação de Filmes da América chamou de "conteúdo violento e brutal, incluindo estupro e tortura, forte sexualidade, nudez chocante e linguajar".

O filme é dirigido pelo norte-americano David Fincher, cujos créditos incluem "A Rede Social", "Zodíaco", "O Clube da Luta" e "Seven - Os Sete Crimes Capitais".   Continuação...

 
Ator britânico Daniel Craig na première mundial do filme "Millennium - Os Homens que Não Amavam as Mulheres", em Londres. 12/12/2011 REUTERS/Suzanne Plunkett