Produtores acharam que cocaína fosse matar Charlie Sheen

terça-feira, 13 de dezembro de 2011 20:04 BRST
 

13 Dez (Reuters) - Charlie Sheen foi demitido do papel de protagonista da série de TV "Two and A Half Men" porque os produtores temiam que ele morresse ou causasse a morte de alguém devido ao consumo desenfreado de cocaína, segundo o produtor Chuck Lorre.

Um dos criadores da série cômica mais vista dos Estados Unidos, Lorre rompeu o silêncio sobre o caso Sheen em entrevista à revista TV Guide.

Sheen, que era o ator mais bem pago da TV norte-americana, foi demitido em março, após semanas de baladas alimentadas por drogas, por uma tentativa de reabilitação feita de má vontade, e de uma série de agressões verbais públicas contra Lorre e os produtores do programa.

Lorre disse que a Warner Bros. e a rede CBS, responsáveis pela série, "optaram por tomar uma decisão moral, ao invés de financeira. Não era um jogo. Era um vício em drogas dos mais evidentes. Era cocaína à beça, e, nas suas próprias palavras, uma 'épica fase de drogas' que poderia ter terminado com a morte dele ou de terceiros".

Ele afirmou que, antes da demissão, ele e outras pessoas da produção tentaram durante meses uma intervenção.

"Eu tinha muito medo de que o meu amigo fosse morrer. Quando a gente gravava um programa numa sexta-feira à noite, sempre havia aquele 'Vejo você na segunda - tomara'. As férias eram o pior, porque os longos períodos eram os que mais temíamos."

"Não seríamos complacentes. Havia uma tragédia se desenrolando à nossa frente. Havia violência e apagões. Num certo nível, se você olha para o outro lado, é responsável. Não dá para conciliar tanta cocaína com trabalho", disse ele à revista.

(Reportagem de Jill Serjeant)