Filme sobre Thatcher gera reações apaixonadas na Grã-Bretanha

quinta-feira, 5 de janeiro de 2012 17:30 BRST
 

Por Mohammed Abbas

LONDRES, 5 Jan (Reuters) - Ninguém incendeia mais as paixões dos britânicos do que Margaret Thatcher, e o legado da ex-primeira-ministra voltou a ser debatido com ardor por ocasião de um filme inspirado em sua trajetória, "A Dama de Ferro", que estreia na sexta-feira.

Legiões de admiradores a veem como uma pioneira na adoção de políticas que salvaram a Grã-Bretanha de um colapso econômico, mas um número igualmente numeroso de detratores a qualifica como uma insensível defensora da ortodoxia de livre mercado à custa dos pobres.

A lembrança do governo Thatcher (1979-90) também voltou à lembrança dos britânicos porque, assim como naquela época, o país enfrenta desemprego alto, cortes orçamentários, tensões com a Europa, descontentamento sindical e distúrbios.

"Seu legado é enorme", disse o parlamentar conservador John Whittingdale, que foi secretário político de Thatcher. "Ela promoveu políticas que transformaram a Grã-Bretanha, e na verdade a relação da Grã-Bretanha com o mundo, algo que nunca será revertido nem ninguém cogitará reverter."

Ele citou a contribuição dela para o fim da Guerra Fria, por meio da sua aliança com os EUA de Ronald Reagan, e também a vitória na Guerra das Malvinas (1982), contra a Argentina, que reforçou a autoridade britânica no cenário global.

Seus admiradores também lhe agradecem pelas privatizações e desregulamentações que desmontaram o que eles consideravam ser um Estado quase socialista, dominado por sindicatos.

Mas seus detratores citam as violentas greves ocorridas quando ela confrontou o sindicato dos mineiros de carvão, em 1984, os distúrbios de 1990 por causa de um impopular imposto chamado Poll Tax, e as vastas extensões industriais abandonadas por causa do declínio econômico e do desemprego permanente.

Seu mandato marcou a ascensão da cultura "yuppie" ligada ao capitalismo individualista, algo que muitos culpam pelos problemas econômicos e pela falta de coesão da atualidade.   Continuação...