Peter Jackson leva filme sobre assassinato no Memphis a Sundance

domingo, 22 de janeiro de 2012 11:03 BRST
 

Por Zorianna Kit

PARK CITY, EUA (Reuters) - Um caso muito comentado de três assassinos em West Memphis, nos Estados Unidos, pode parecer uma escolha estranha para um filme do diretor Peter Jackson, mas o responsável pela trilogia "O Senhor dos Anéis" chegou a Sundance com um documentário sobre o caso e a nova revelação de um possível suspeito.

A equipe legal e Jackson, que ajudou financeiramente na defesa dos três assassinos condenados, que agora estão fora da prisão quase 20 anos depois do crime, alegam que eles testemunharam que o padrasto de uma das vítimas era o verdadeiro assassino.

Se for provada que essa alegação é verdadeira, será preciso aguardar a ação dos promotores de West Memphis, no Arkansas, onde os assassinatos aconteceram em 1993. Até agora a promotoria manteve-se na crença de que tinha os verdadeiros culpados o tempo todo.

Mas Jackson e um dos Três de West Memphis, Damien Echols, acham que o documentário "West of Memphis" e o novo depoimento levarão a luta adiante.

"Isso tem que ser tratado", disse Jackson à Reuters no sábado no Festival de Cinema de Sundance. "Você não pode simplesmente deixar um caso de assassinato como aquele suspenso no ar."

O caso dos Três de West Memphis, que foram julgados e condenados como adolescentes por terem matado três garotos, obrigou Jackson a agir assim que soube da história perturbadora dos três jovens ligados a um assassinato horrendo e que acabaram sendo libertados da prisão em agosto de 2011.

"Eu fui assediado (quando jovem) e era visto como um pouco esquisito", disse Jackson à Reuters no sábado. "E eu vi isso acontecendo com outras pessoas, então eu quis ajudá-los."

Jackson e a diretora Amy Berg apresentaram pela primeira vez "West of Memphis" em Sundance na sexta-feira, ao mesmo tempo em que os advogados de defesa divulgaram um press-release detalhando suas novas revelações.

O documentário segue o caso que muitos acreditam ser a condenação errônea de Echols, Jason Baldwin e Jessie Misskelley, que eram adolescentes quando foram acusados de ter matado três meninos de oito anos de idade em West Memphis, no Arkansas, em 1993.

O caso ganhou fama no documentário da HBO "Paradise Lost", mas a história dos três adolescentes presos chamou a atenção de Jackson e de sua mulher, a produtora Fran Walsh, já em 2005.