January 26, 2012 / 2:02 PM / 5 years ago

Fundador do WikiLeaks apresentará programa de TV do Kremlin

4 Min, DE LEITURA

Por Nastassia Astrasheuskaya

MOSCOU, 26 Jan (Reuters) - O canal de língua inglesa financiado pelo Kremlin Russia Today deu ao fundador do WikiLeaks, Julian Assange, seu próprio talk-show televisivo, informou a emissora nesta semana.

A filmagem da estreia de Assange na televisão já está sendo feita na Grã-Bretanha, onde ele continua em prisão domiciliar nos arredores de Londres enquanto apela de uma ordem de extradição para a Suécia.

O Russia Today - considerado pelos críticos um exercício de aprimoramento da imagem do Kremlin - disse que Assange convidará "dez políticos, pensadores e revolucionários" para entrevistas em um programa chamado "The World Tomorrow", que deve entrar no ar em meados de março.

"Tudo o que fazemos no ar é diferente da tendência atual em língua inglesa, isso é algo que temos em comum com Assange", disse a redatora-chefe do RT, Margarita Simonyan, à Reuters.

"" programa foi feito sob medida para o lema do RT, que é "questione mais"", disse ela. "Estamos contando com ele para atrair o interesse de uma grande audiência".

Simonyan não quis dizer quanto Assange receberia para apresentar o programa de entrevistas.

Transmitido para 430 milhões de assinantes de TV a cabo no mundo, o canal do Kremlin oferece uma rara plataforma pública para um homem cujo site, o WikiLeaks, está sob forte pressão depois de tornar público vários telegramas diplomáticos norte-americanos, e que viu sua capacidade de se autofinanciar prejudicada.

Assange, um australiano de 40 anos, disse que a recusa de muitas empresas de transações financeiras - incluindo Visa, MasterCard, PayPal e Western Union - de trabalhar com o WikiLeaks prejudicou a capacidade do site de continuar seu trabalho.

Assange deve aparecer perante a Suprema Corte britânica em 1o de fevereiro para apelar da sentença de extradição para a Suécia, onde é acusado por duas voluntárias suecas do WikiLeaks de conduta sexual imprópria.

Vladimir Putin, que governa a Rússia desde 2000 como presidente e primeiro-ministro, descreveu a prisão de Assange em 2010 como "hipócrita".

O Russia Today manteve em segredo o nome dos convidados, dizendo apenas que figuras da oposição russa podem estar entre eles, mas a especulação era grande nos sites de mídia social sobre quem poderia ser convidado para o programa.

O analista da mídia Konstantin von Eggert disse esperar ver Assange entrevistando aliados russos e convidados anti-establishment, como o presidente iraniano Mahmoud Ahmadinejad, o líder venezuelano Hugo Chávez e o acadêmico norte-americano de esquerda Noam Chomsky.

"Julian Assange é famoso por suas posições antiamericanas e antiocidentais, e é exatamente por isso que o Russia Today o está contratando como jornalista", disse von Eggert, um comentarista da rádio Kommersant FM.

"Portanto, essa parceria é lógica... Não tem nada a ver com liberdade de expressão ou jornalismo verdadeiro".

O Russia Today - cujo canal no YouTube teve um recorde de meio bilhão de acessos - foi manchete há um ano quando os aeroportos norte-americanos se recusaram a colocar um de seus anúncios polêmicos.

Os cartazes comparavam Ahmadinejad com o presidente norte-americano Barack Obama, com os seguintes dizeres: "quem representa a maior ameaça nuclear?", e apareceram em aeroportos na Europa.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below