Festival de Cinema de Berlim busca a vanguarda em 2012

quarta-feira, 8 de fevereiro de 2012 13:24 BRST
 

Por Mike Collett-White

BERLIM, 8 Fev (Reuters) - O Festival de Cinema de Berlim, que no ano passado colocou o drama iraniano "A Separação" no caminho da fama mundial, tem uma seleção ainda mais ousada em 2012, com vários diretores promissores competindo na categoria principal.

Valeria correr o risco de exibir um talento não comprovado este ano se isso ajudasse Berlim a se livrar da reputação de ser mais conservador em sua programação do que festivais de cinema rivais, disseram críticos.

O evento anual, durante o qual centenas de longas-metragens, curtas e documentários são exibidos em cinemas em toda a cidade, começa na quinta-feira com a estreia mundial de "Les Adieux à la Reine", com Diane Kruger no papel de Maria Antonieta.

"É interessante que pareça haver mais jovens diretores que estão apresentando ainda sua segunda obra", disse o crítico de cinema Jay Weissberg, da Variety, um veterano em Berlim. "Pode significar que Berlim pode estar tentando ser mais vanguarda".

Os organizadores do festival, liderados pelo diretor do evento, Dieter Kosslick, ficarão contentes se o festival deste ano puder descobrir outra pérola "escondida" do cinema mundial depois que deu à "A Separação" o Urso de Ouro de melhor filme em 2011.

A atenção da mídia que se seguiu a isso colocou o filme, uma obra cáustica sobre a vida moderna no Irã, no caminho do reconhecimento internacional, incluindo um Globo de Ouro e duas indicações ao Oscar.

Destacando o alcance mundial de Berlim, o Urso de Ouro foi para o filme turco "Honey" em 2010, o peruano "A Teta Assustada" em 2009, o brasileiro "Tropa de Elite" em 2008, o chinês "Bai lu yuan" (Tuya's marriage, em inglês) em 2007 e o bósnio "Grbavica" em 2006.

Nenhum desses filmes, no entanto, chamou a atenção da indústria da mesma forma que "A Separação".   Continuação...