9 de Fevereiro de 2012 / às 16:53 / em 6 anos

ENTREVISTA-Desmond Tutu critica casamento infantil na Índia

Por Nita Bhalla

NOVA DÉLHI, 9 Fev (Reuters) - O desenvolvimento da Índia está sendo atrasado por práticas discriminatórias contra as mulheres, tais como o casamento infantil, que acabam com o potencial delas de contribuir com o crescimento, disse o arcebispo e ativista sul-africano Desmond Tutu.

“A Índia está se saindo fantasticamente bem. Eles reclamam sobre um crescimento de 7 por cento do PIB. Imagine se você angariasse a participação de 50 por cento da população. Mulheres. Imagine o que seria”, disse Tutu à Reuters na noite de quarta-feira.

“Acho que a Índia está preparada para se tornar um ator muito significativo, mas esse papel seria muito, muito potencializado, se fosse dado às mulheres um lugar apropriado.”

Tutu, de 80 anos, foi laureado com o Prêmio Nobel da Paz em 1984 por se posicionar contra o governo de minoria branca na África do Sul.

Agora, como presidente do The Elders (Os Anciãos) - grupo de pessoas proeminentes que se dedicam a questões humanitárias --, ele lidera um movimento mundial chamado “Girls Not Brides” (garotas, não noivas), destinado a pôr fim ao casamento de crianças.

Especialistas em questões de gênero afirmam que a cada três segundos uma garota com menos de 18 anos se casa, em geral sem o seu consentimento e por vezes com um homem muito mais velho. São 10 milhões de casamentos desse tipo por ano e eles acontecem antes de a menina estar pronta psicologica ou sexualmente para um relacionamento como esse.

A prática acontece mais na África, no Oriente Médio e no sul da Ásia, apesar da existência de leis que a proíbe na maioria dos países.

Vivendo em um país que passa por um rápido processo de modernização, mas é profundamente ligado a pontos de vista tradicionais patriarcais, as mulheres indianas enfrentam uma série de ameaças - desde violência sexual, assassinatos por causa do dote, discriminação com relação aos direitos sobre a terra, à educação e à saúde até o casamento infantil.

Quarenta e sete por cento das mulheres entre 20 e 24 anos na Índia se casaram antes da idade legal de 18 anos, de acordo com a mais recente Pesquisa Nacional sobre Saúde da Família, feita pelo governo.

Tutu - que está na Índia com outros membros do grupo dos Elders, incluindo a ex-presidente irlandesa Mary Robinson e a ex-premiê norueguesa Gro Harlem Brundtland - disse que é imperativo tratar da questão, uma vez que ela está ligada ao desenvolvimento.

“Já foi demonstrado que, onde o casamento infantil ocorre, você pode esquecer seis das oito metas de desenvolvimento do milênio”, disse ele, referindo-se a uma série de metas aprovadas pelos 192 membros da Organização das Nações Unidas (ONU) para que sejam implementadas até 2015.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below