11 de Fevereiro de 2012 / às 13:02 / 6 anos atrás

Mafioso e assassino lembram Shakespeare em novo filme

BERLIM (Reuters) - Traficantes de drogas, um mafioso e um assassino estão caracterizados nos papéis de César, Brutus, Cassius e outras pessoas em “César Deve Morrer”, um docudrama sobre detentos em uma prisão italiana que protagonizam uma tragédia de Shakespeare.

O filme, que tem sua estreia mundial no Festival de Berlim, neste sábado, foi filmado na prisão de Rebibbia, nos subúrbios de Roma, a maioria na ala de maior segurança do presídio.

Dirigido pelos veteranos italianos Vittorio e Paolo Taviani, “César Deve Morrer” pode também ser chamado “Shakespeare pode te libertar”, enquanto prisioneiros mentalmente escapam do confinamento de suas celas, pelo menos temporariamente.

E os temas de Shakespeare de poder, corrupção, assassinato e vingança em “Júlio César” naturalmente ressoam com personagens que cumprem sentenças que vão de 14 anos à perpétua.

“Eles estão em seu mundo, mas ao mesmo tempo eles têm linhas de Shakespeare que falavam sobre assassinatos e traições, sobre poder e chefes, e pensamos que talvez possamos incluir suas realidades na peça”, afirmou Vitoria em Berlim.

“Eles também viveram dramas pessoais e podemos pensar isso como uma vida dramática de Brutus e Marco Antônio, por exemplo, e eles foram capazes de se colocar no lugar dos personagens de Shakespeare.”

Reportagem de Mike Collett-White

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below