Pela 1a vez, gays se casam no Empire State Building

terça-feira, 14 de fevereiro de 2012 16:33 BRST
 

NOVA YORK, 14 Fev (Reuters) - Há quase duas décadas, no dia de São Valetim (Dia dos Namorados em diversos países), casais de sorte contraem núpcias no topo do Empire State Building, mas neste ano pela primeira vez casais homossexuais disseram o "sim" no famoso edifício de Nova York.

As cerimônias ocorrem graças à legalização, sancionada em junho, de uma lei que legaliza os casamentos homossexuais no Estado de Nova York -foi o sexto Estado norte-americano a adotar a prática.

"Simplesmente achamos que seria uma oportunidade fantástica nos casarmos no topo do edifício Empire State, especialmente por ser este o primeiro ano em que o casamento gay é autorizado", disse Phil Fung, de 49 anos, que se casou com o parceiro Shawn Klein, de 51, confirmando um relacionamento que já dura 18 anos.

"Foi amor à primeira vista", disse Fung. "Vínhamos conversando sobre nos casarmos agora que o casamento gay foi aprovado no Estado de Nova York, e amigos nossos nos falaram sobre o concurso."

Eles se referiam à escolha dos casais que poderiam se casar no 61o andar do prédio. Centenas de casais do país inteiro enviaram vídeos contando por que sonhavam em se casar no célebre edifício concluído em 1930, e visitado anualmente por 3,5 milhões de pessoas. Só quatro casais foram selecionados.

Estima-se que 21 mil casais de gays e lésbicas de Nova York irão se casar nos três primeiros anos após a entrada da lei em vigor, e que quase 42 mil outros casais de fora do Estado escolherão se casar em Nova York, segundo um relatório da Conferência Democrática Independente.

É o caso de Steph Figarelle, de 29 anos, e de Lela McArthur, de 24, que moram no Alasca. "O Empire State Building para nós no Alasca é como ir ao Egito ver as pirâmides. É o que torna isso especial... O fato de nos casarmos lá dá o tom para a nossa vida juntas", disse Figarelle.

O Alasca não permite o casamento homossexual. Figarelle soube do concurso no Empire State quando procurava um lugar para celebrar a união em Nova York. "Foi um tiro no escuro", contou.

Como parte do prêmio, cada casal recebeu uma cerimônia personalizada, trajes de gala e dois pernoites no hotel Pierre.

A Conferência Democrática Independente estima que os casamentos homossexuais irão gerar 284 milhões de dólares para a economia do Estado.