"Real in Rio" é a esperança brasileira no Oscar

quarta-feira, 15 de fevereiro de 2012 21:02 BRST
 

Por Jordan Riefe

LOS ANGELES, 15 Fev (Reuters) - Aos 71 anos, dono de uma carreira com inúmeros sucessos e trilhas para cinema, o lendário compositor Sérgio Mendes poderia passar a impressão de que já conseguiu tudo na vida, mas a verdade é que lhe falta uma coisa: o Oscar. E neste ano ele pode levar a estatueta para casa.

A canção "Real in Rio", composta por ele, Carlinhos Brown e Siedah Garret para a animação "Rio", foi indicada ao prêmio e tem grandes chances de vitória na cerimônia do dia 26, pois só enfrenta um concorrente.

Na manhã em que os indicados ao Oscar foram anunciados, em janeiro, Mendes foi acordado por um telefonema do diretor do filme, Carlos Saldanha, perguntando-lhe se o seu smoking estava passado.

"Eu não podia acreditar", disse Mendes. "Ainda estou meio que me beliscando. Que momento maravilhoso na minha vida!", afirmou o compositor.

E momentos maravilhosos não faltaram na história dele. Quando jovem, Mendes se apresentava em casas noturnas cariocas e teve Tom Jobim como mentor. Depois disso, faria uma bem sucedida carreira internacional.

Mas compor "Real in Rio" foi uma experiência especial para Mendes, que se disse honrado com a oportunidade.

"Me pediram para escrever uma canção que abrisse o filme", disse Mendes. "Ela meio que atravessa todo o filme e no final explode em um desfile carnavalesco. Então isso é 'Real in Rio'."

Mendes se radicou nos Estados Unidos no começo da década de 1960 e logo gravou alguns trabalhos, mas sua carreira fora do Brasil só decolaria na pareceria com Herb Alpert -o hit "Mas Que Nada" estava no primeiro álbum importante dele, "Herb Alpert Presents Sergio Mendes & Brasil '66".   Continuação...