22 de Fevereiro de 2012 / às 19:56 / 6 anos atrás

Show de Paulo Barros dá título do Carnaval à Unidos da Tijuca

Carro alegórico da Unidos da Tijuca, a campeã do Carnaval 2012 do Rio de Janeiro com uma enredo sobre o cantor e compositor Luiz Gonzaga. 21/02/2012 REUTERS/Nacho Doce

RIO DE JANEIRO, 22 Fev (Reuters) - A fórmula do carnavalesco Paulo Barros de surpreender o público com seu desfile-espetáculo conquistou os jurados pela segunda vez e garantiu nesta quarta-feira o título de campeã do Carnaval 2012 à Unidos da Tijuca, que prestou uma homenagem ao cantor e compositor Luiz Gonzaga.

A agremiação do morro do Borel, campeã em 2010 sob comando de Barros com o enredo “É Segredo!”, desbancou o Salgueiro por 299,9 a 299,7 para ficar com a primeira posição na apuração das notas. Esse é o terceiro título da história da escola, que foi campeã também em 1936.

“Acho que fizemos o desfile mais perfeito dos últimos anos”, disse o presidente da escola, Fernando Horta, após o anúncio do resultado. “A felicidade é muito grande pelo trabalho realizado. O Luiz Gonzaga fez muito sucesso aqui e merecia ser lembrado com o título, mas o Paulo Barros também foi sensacional.”

Além dos títulos, a Tijuca foi vice-campeã com Paulo Barros em 2011, 2005 e 2004, quando o carnavalesco ganhou fama por suas criações inovadoras, como o carro do “DNA”.

Vila Isabel, Beija-Flor, Grande Rio e Portela completaram as seis primeiras colocadas que voltarão no sábado à Marquês de Sapucaí para o desfile das campeãs. Porto da Pedra e Renascer de Jacarepaguá, as duas últimas colocadas, foram rebaixadas para o grupo de acesso em 2013.

A Unidos da Tijuca, que desfilou na noite de segunda-feira, decidiu homenagear o popular rei do baião Luiz Gonzaga com uma viagem pelo Nordeste do autor de “Asa Branca”, nascido no sertão pernambucano e que completaria 100 anos em 2012.

Acostumado a escolher os temas de seus enredos, normalmente abstratos, o carnavalesco Paulo Barros desta vez teve que criar o desfile sobre um tema determinado pela escola, mas encontrou ideias criativas para retratar o mundo de “Gonzagão”.

“Eu convenci o Paulo de fazer esse enredo até para tirar um certo estigma e uma opinião comum de que o Paulo Barros gostava só de Carnaval hi-tech”, disse o presidente da agremiação.

“Eu conheço o Paulo Barros e sabia que ele era capaz de fazer qualquer Carnaval. Eu disse para ele: ‘depois desse enredo, você vai ser definitivamente considerado o maior carnavalesco do Brasil’.”

Mais uma vez um dos destaques do desfile da Tijuca foi a comissão de frente, que homenageou a sanfona, instrumento inseparável do músico e que ganhou vida no desfile.

A mesma criatividade foi vista nos carros alegóricos. Um deles, chamado “Do barro se fez a vida”, prestou homenagem ao mestre Vitalino, que retratou a vida no agreste nordestino em famosas esculturas de cerâmica.

No abre-alas, ilustres desembarcaram num aeroporto para a cerimônia de coroação do rei do baião. Desciam da alegoria e passeavam pela avenida, cumprimentando o público. Entre eles, o rei do futebol, Pelé, a rainha da Inglaterra, o rei do pop Michael Jackson, Elvis Presley e outros nobres.

A Beija-Flor, campeã no ano passado quando cantou Roberto Carlos, perdeu um décimo como punição por um problema com a comissão de frente, que não se apresentou ao setor três como exigido pelo regulamento. Segundo a escola, houve um problema técnico com o elemento cenográfico da comissão de frente.

Reportagem de Rodrigo Viga Gaier e Pedro Fonseca

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below