Museu de Auschwitz quer de volta barracas emprestadas aos EUA

terça-feira, 28 de fevereiro de 2012 18:11 BRT
 

VARSÓVIA, 28 Fev (Reuters) - Ocupando o local onde funcionou o maior campo de morte nazista da Polônia, o museu de Auschwitz-Birkenau está tendo dificuldades para reaver as barracas de madeira emprestadas ao Museu Memorial do Holocausto norte-americano há cerca de 20 anos, disseram autoridades nesta terça-feira.

Aproximadamente 1,5 milhão de pessoas, na maioria judeus, morreram no campo de Auschwitz-Birkenau por causa das baixas temperaturas, fome, doença, testes médicos e trabalho forçado.

"Trata-se de cerca de um terço ou talvez metade de uma barraca e seus painéis de parede, que emprestamos a Washington", disse o diretor do museu, Piotr Cywinski, à Reuters.

As barracas originalmente eram estábulos pré-fabricados, mas os nazistas as transformaram em abrigos para os prisioneiros dos campos, colocando mais de 400 pessoas em cada uma delas, com divisórias de madeira.

"O empréstimo foi estendido, mas por fim terminou em 2009. Enquanto isso, a lei mudou na Polônia e agora elas precisam voltar. Não há outro jeito", disse Cywinski.

Uma nova lei polonesa para os monumentos históricos, aprovada em 2003, diz que nenhum artefato pode ser emprestado por mais de cinco anos.

"Mas o Museu do Holocausto de Washington instalou as barracas como parte importante de sua exposição permanente anos atrás; portanto, é uma questão complexa, exigindo mais tempo para sua resolução", afirmou ele.

Tanto a embaixada dos Estados Unidos em Varsóvia como o governo polonês afirmaram que estão participando das negociações.

(Reportagem de Gabriela Baczynska)