Depardieu aprova Sarkozy e Fidel, mas reprova Strauss-Kahn

quinta-feira, 15 de março de 2012 16:58 BRT
 

PARIS, 15 Mar (Reuters) - O ator francês Gerard Depardieu gosta do presidente conservador Nicolas Sarkozy, assim como já gostou de Fidel Castro, João Paulo 2º. e François Mitterrand, mas detesta Dominique Strauss-Kahn, razão pela qual aceitou encarná-lo no cinema.

Em entrevista divulgada pelo site da emissora suíça RTS, o desbocado ator falou das suas preferências políticas,

"As pessoas vão dizer que eu gosto de ditadores, mas não", disse ele, numa entrevista marcada por momentos desconexos. "Eu realmente gostava de Fidel Castro (ex-dirigente cubano), assim como eu realmente gostava do (falecido papa) João Paulo 2º, e como eu realmente gostava de (falecido ex-presidente francês) François Mitterrand. Porque eles chegaram num momento preciso... Eu realmente gosto de Sarkozy."

O presidente francês é candidato à reeleição, mas as pesquisas indicam que ele deve ser derrotado pelo candidato socialista François Hollande no segundo turno, em 6 de maio.

Hollande se tornou candidato depois que o favorito Dominique Strauss-Kahn, então diretor-geral do Fundo Monetário Internacional, foi preso em Nova York sob suspeita de crime sexual. Questionado pela RTS sobre interpretar Strauss-Kahn no cinema, Depardieu disse que o político foi "arrogante" e "convencido". "Sim, por não gostar dele é que vou fazer (o papel)."

(Reportagem de Brian Love)