Keith Richards pede desculpa a Mick Jagger por ofensas

sexta-feira, 16 de março de 2012 18:21 BRT
 

LONDRES, 16 Mar (Reuters) - O guitarrista dos Rolling Stones, Keith Richards, pediu desculpas a Mick Jagger por comentários depreciativos que fez sobre o vocalista em sua autobiografia de 2010 "Life", que causou um racha dentro da banda.

Em comentários divulgados pela revista Rolling Stone, os dois veteranos do rock'n'roll concordaram que era hora de seguir em frente.

Os fãs vão ficar aliviados em vê-los fazer as pazes, já que a briga havia ameaçado minar os planos de comemoração do aniversário de 50 anos dos Rolling Stones e de outra turnê mundial.

"Olhando para trás, em qualquer carreira você é obrigado a lembrar dos altos e baixos", disse Jagger, segundo a revista. "Na década de 1980, por exemplo, Keith e eu não estávamos nos comunicando muito bem", afirmou.

"Fiquei muito envolvido com o lado comercial dos Stones, principalmente porque eu senti que ninguém estava interessado, mas está claro agora com o livro que Keith se sentiu excluído, o que é uma pena. Avalio que chegou o momento de seguir em frente."

Richards acrescentou: "Mick está certo. Ele e eu tivemos conversas durante o último ano de um tipo que não tivemos por muito tempo e isso tem sido muito importante para mim..."

"Quanto ao livro, era a minha história e era muito bruto, como eu queria que fosse, mas eu sei que algumas partes dele e certas publicidades realmente ofenderam Mick e eu lamento isso."

A turnê mundial ansiosamente aguardada de uma das maiores bandas do mundo não deve acontecer até 2013, no mínimo, de acordo com a mesma revista.

Algumas fontes da indústria haviam relacionado o atraso à discussão entre Richards e Jagger, mas a Rolling Stone disse que pode estar mais ligado a preocupações sobre a saúde de Richards.   Continuação...

 
Keith Richards (direita) e Mick Jagger se apresentam durante o tour europeu "A Bigger Bang" em Bucareste, Romênia, 17 de julho de 2007. Richards pediu desculpas a Mick Jagger por comentários depreciativos que fez sobre o vocalista em sua autobiografia de 2010 "Life", que causou um racha dentro da banda. REUTERS/Bogdan Cristel