Tribunal manda Alemanha devolver arte roubada por nazistas

sexta-feira, 16 de março de 2012 21:01 BRT
 

Por Alice Baghdjian

BERLIM, 16 Mar (Reuters) - A Justiça federal alemã determinou na sexta-feira que o Museu Histórico Alemão, em Berlim, devolva ao filho do dono original uma coleção de milhares de cartazes raros, que havia sido confiscada pelas autoridades nazistas há mais de 70 anos.

Os 4.300 cartazes feitos à mão, avaliados em 4,3 milhões de euros (5,66 milhões de dólares), foram confiscados pelos nazistas do dentista Hans Sachs, em 1938, conforme uma lei discriminatória contra os judeus alemães.

O acervo, exposto há anos no popular museu berlinense, agora será entregue a Peter Sachs, que vive nos EUA.

"Esses cartazes foram feitos a mão, não o tipo que você vê hoje, que são reimpressos milhões de vezes mundo afora. Eles eram feitos por pintores, e eram arte de verdade", disse à Reuters o advogado Matthias Druba, representante de Sachs.

O acervo chegou a ser dado como perdido, até que os cartazes começassem a reaparecer na ex-Alemanha Oriental. Depois da reunificação alemã, em 1990, alguns exemplares foram parar no acervo do Museu Histórico.

A devolução de obras de arte confiscadas por nazistas é um assunto delicado na Alemanha, inclusive por causa do valor de algumas delas. Por exemplo, uma obra de Gustav Klimt devolvida à família Bloch-Bauer foi vendida há alguns anos por 135 milhões de dólares, supostamente o maior preço já alcançado por uma pintura.

Mas Druba disse que, no caso de Sachs, foi o valor sentimental que o levou a pleitear a devolução. "Para Peter Sachs, trata-se de se reconectar à história da sua família", afirmou o advogado, contando que o pai do seu cliente foi obrigado a ver os cartazes sendo levados embora, antes de fugir da Alemanha.

"Ele tinha inclusive que ajudar a carregar os cartazes em um caminhão antes que fosse autorizado a deixar o país" contou.

Druba disse que Sachs agora pretende expor a coleção publicamente, mas ainda procura um local. "O colecionador era berlinense, e os pôsteres foram colecionados em Berlim. Como berlinense, eu ficaria realmente satisfeito se eles pudessem permanecer aqui."