Murdoch diz enfrentar "mentiras e calúnias"

quinta-feira, 29 de março de 2012 09:55 BRT
 

Por Georgina Prodhan

LONDRES, 29 Mar (Reuters) - O empresário Rupert Murdoch declarou nesta quinta-feira guerra a "inimigos" que acusaram sua operação de TV paga de sabotar a concorrência, a qual ele disse ser formada por "grã-finos e direitistas" parados no século passado.

Reportagem da rede pública britânica BBC e do jornal Australian Financial Review disseram nesta semana que a NDS, subsidiária do grupo News Corp que lida com a segurança de cartões para TV paga, estava promovendo a pirataria para atacar seus rivais, inclusive nos Estados Unidos.

A NDS e a News Corp já haviam negado as acusações, mas nesta quinta-feira o conglomerado midiático lançou uma reação organizada, temendo que o escândalo de espionagem que abalou os jornais do grupo no ano passado agora comece a acuar o negócio de TV paga, que é mais lucrativo.

"Parece que todo concorrente e inimigo está acumulando mentiras e calúnias. Azar deles, (é) fácil reagir com força, o que (está sendo) preparado", disse Murdoch, de 81 anos, pelo Twitter.

A News Corp enfrenta uma crise desde a revelação de que o seu extinto tabloide News of the World espionou caixas postais telefônicas de centenas de pessoas.

No auge da crise, o empresário de origem australiana se reuniu com parentes de uma menina assassinada que havia tido seu celular espionado, e declarou ao Parlamento britânico que estava passando pelo "dia mais contrito" da sua vida.

Nesta quinta-feira, porém, Murdoch parecia estar farto de pedir desculpas. "Os inimigos (têm) muitas pautas diferentes, mas os piores (são) os velhos grã-finos e direitistas que ainda querem o status quo do século passado com os seus monopólios", tuitou ele.

Para um republicano convicto como Murdoch, descrever um rico como "grã-fino" é um tremendo insulto.

A BBC tem um longo histórico de conflitos ideológicos com a operadora de TV paga BSkyB, que tem 39 por cento das suas ações em poder da News Corp. Tanto Murdoch quanto seu filho James, executivo graduado do grupo, têm atacado publicamente a emissora pública britânica nos últimos anos.

O jornal Australian Financial Review pertence ao grupo Fairfax Media, principal rival da empresa jornalística australiana News Ltd, de Murdoch.