China rejeita recurso de Ai Weiwei em processo tributário

quinta-feira, 29 de março de 2012 11:26 BRT
 

PEQUIM, 29 Mar (Reuters) - As autoridades chinesas rejeitaram um recurso do artista e dissidente Ai Weiwei num processo em que ele é acusado de sonegar 15 milhões de iuans (2,4 milhões de dólares) em impostos, disse Ai nesta quinta-feira.

Simpatizantes de Ai, que no ano passado mobilizou a comunidade internacional ao passar 81 dias sob prisão secreta, disseram que o processo tributário é parte dos esforços das autoridades para amordaçar o mais famoso crítico do regime chinês.

Ai disse que as autoridades tributárias lhe informaram nesta quinta-feira que manterão a sentença original. Ele disse que pretende abrir nos próximos 15 dias processos contra as autoridades tributárias de Pequim e contra a secretária de segurança pública da capital.

Por telefone, ele disse à Reuters que "30 mil pessoas querem que cheguemos até o fim disso, e todos estão apoiando muito".

"Posso honestamente dizer que nunca tive muitas expectativas. Esse governo, desde o começo, nunca mudou nenhuma das suas decisões. Qual sociedade é capaz disso?"

Ai pagou no ano passado uma fiança de 8,45 milhões de iuans -doados por dezenas de milhares de simpatizantes- para poder ter acesso a uma revisão administrativa das acusações de sonegação. Ele disse na época que estava pessimista com o recurso.

O processo diz respeito à atividade da empresa Beijing Fake Cultural Development, que ajuda a difundir a obra de Ai.

Antes de o recurso ser negado, Ai disse ter sido informado de que o caso seria tratado por escrito, e não em audiência pública.

"Acho isso inconcebível", disse Ai. "Nosso advogado falou: 'Qual país do mundo não ousa encarar seus próprios contribuintes?'. Sendo as pessoas que foram indiciadas, não temos medo de tornar isso público. Mas, como país, como podemos ter medo de sermos transparentes?"

As autoridades tributárias de Pequim não estavam imediatamente disponíveis para comentar.

(Reportagem de Sui-Lee Wee)