Escândalo do grupo de Murdoch chega à Sky News

quinta-feira, 5 de abril de 2012 17:14 BRT
 

Por Georgina Prodhan e Kate Holton

LONDRES, 5 Abr (Reuters) - A Sky News, parte do império midiático de Rupert Murdoch, admitiu na quinta-feira ter espionado emails em duas ocasiões, mas garantiu ter agido em nome do interesse público.

O caso complica ainda mais a situação da empresa News Corp., do magnata Rupert Murdoch, que está sob investigação por autoridades britânicas desde a revelação, no ano passado, que o extinto tabloide News of the World havia espionado centenas de caixas postais telefônicas.

Na terça-feira, James Murdoch, filho do empresário, deixou o comando da empresa BSkyB, controladora da Sky News, numa tentativa de limitar o impacto das denúncias anteriores.

Além de fechar o News of the World, o escândalo também levou Murdoch a desistir de comprar os 61 por cento da BSkyB que ele ainda não possui. A Ofcom, agência reguladora britânica de comunicações, está atualmente avaliando a conduta de proprietários e diretores da BSkyB, sob a ameaça de cassar a licença da empresa.

A Sky News disse ter autorizado em 2008 um jornalista a acessar os emails de pessoas suspeitas de atividade criminal, num caso em que um britânico forjou sua própria morte ao sair para o mar com uma canoa.

O canal disse que o material descoberto foi partilhado com a polícia e ajudou a levar à condenação da mulher do homem, que estava vivendo no Panamá.

No outro episódio, o suspeito acessou as contas de email de um suposto pedófilo e da mulher dele, numa investigação que não resultou em nenhuma reportagem.

"Mantemos que essas ações foram editorialmente justificadas e no interesse público", disse em nota o diretor da Sky News, John Ryley.   Continuação...