Miss Universo muda regra para incluir mulheres transexuais

terça-feira, 10 de abril de 2012 16:21 BRT
 

10 Abr (Reuters) - O concurso Miss Universo está mudando suas regras e permitirá que mulheres transexuais participem de todas as suas competições a partir de 2013, informou nesta terça-feira a organização e o grupo de direitos dos homossexuais GLAAD.

A decisão veio após terem sido feitas críticas pela mídia sobre a desqualificação da competidora canadense Jenna Talackova do próximo concurso Miss Universo Canadá, porque ela não era "naturalmente nascida mulher".

Talackova, de 23 anos, que passou por uma cirurgia para mudança de sexo quando tinha 19 anos, foi reintegrada à competição canadense na semana passada pelo empresário Donald Trump, dono da organização Miss Universo. Talackova tem passaporte, carteira de motorista e outros documentos que a identificam como mulher.

Após consultar a Aliança Gay e Lésbica contra a Difamação (GLAAD, na sigla em inglês), o Miss Universo "discutiu uma mudança de política que inclui as mulheres transexuais em tempo para o início da temporada do concurso 2013, numa época quando a maioria das competições ao redor do mundo começa a acontecer", disseram os dois grupos em comunicado conjunto.

A mudança coloca o Miss Universo em linha com outros grupos que tomaram uma atitude contra a discriminação das mulheres transexuais, incluindo os Jogos Olímpicos, as Garotas Escoteiras da América e o programa de TV "America's Next Top Model", afirmou o GLAAD.

"Temos uma longa história de apoio à igualdade para todas as mulheres e isso foi algo que levamos muito a sério", disse Paula Shugart, presidente da Organização Miss Universo.

A linguagem exata, que vai abolir a regra de longa data de que as participantes devem ser "naturalmente nascidas mulheres", ainda está sendo preparada, afirmaram autoridades.

(Reportagem de Jill Serjeant)