Jennifer Hudson diz que nunca gostou de assassino de sua família

segunda-feira, 23 de abril de 2012 19:02 BRT
 

Por Mary Wisniewski

CHICAGO, 23 Abr (Reuters) - A cantora e atriz Jennifer Hudson disse em depoimento nesta segunda-feira que conhecia desde adolescente o homem que matou três parentes dela e que nunca gostou dele.

Hudson foi a primeira testemunha intimada no início do julgamento de William Balfour, acusado de assassinar a mãe, um irmão e um sobrinho da artista.

Balfour e Hudson estudaram na mesma escola, e ele foi casado com a irmã de Hudson, Julia. Ela disse que nunca gostou do acusado, e que ele nunca tratou bem a sua irmã. "Eu disse a ela várias vezes para não se casar com William", afirmou.

Balfour é acusado de matar a tiros Darnell Donerson, de 57 anos, mãe de Hudson; o irmão dela, Jason Hudson, de 29 anos; e um sobrinho, Julian King, de 7.

Hudson relatou o horripilante dia 24 de outubro de 2008, quando, voltando para Chicago de avião, soube da morte dos familiares. Ela identificou o corpo da mãe e do irmão no necrotério, e três dias depois voltou ao local para identificar o sobrinho.

Antes de Hudson se mudar, em 2006, toda a família morava na mesma casa em Chicago onde os corpos de Donerson e Jason Hudson foram achados. O corpo de Julian foi encontrado posteriormente em um veículo roubado.

O promotor-assistente Veryl Gambino disse em suas alegações iniciais que Balfour fez "alertas letais" a Julia Hudson, avisando que mataria a mulher e sua família. Promotores descreveram Balfour como um homem ciumento e vingativo, que ameaçava repetidamente Julia.

Jennifer Hudson despontou como cantora em 2004, no programa de calouros "American Idol". Ela posteriormente ganhou o Grammy por seu álbum de estreia, e o Oscar por seu papel em "Dreamgirls - Em Busca de um Sonho".