Ator egípcio recorre de pena por difamar o islamismo

quarta-feira, 25 de abril de 2012 19:19 BRT
 

CAIRO, 25 Abr (Reuters) - O mais famoso comediante do mundo árabe, Adel Imam, vai recorrer da pena de três meses de prisão que lhe foi imposta por insultar o islamismo em seus filmes e peças, disse seu advogado à Reuters na quarta-feira.

Imam foi condenado à revelia em 2 de fevereiro, e a sentença inclui também uma multa de mil libras egípcias (170 dólares). Em seus mais de 40 anos de carreira, Imam sempre tirou sarro de políticos e autoridades, ao passo que seus filmes mais sérios tratam da ascensão da militância islâmica.

O processo - num momento de ascensão política de ativistas islâmicos - gerou temores de que muçulmanos ultraconservadores estariam tentando impor suas opiniões à sociedade.

"O sr. Adel Imam vai recorrer para anular o veredicto, que foi concedido sobre uma base jurídica errada", disse o advogado Sawat Hussein. “"Os filmes do meu cliente foram certificados, ao invés de censurados, pelas autoridades de vigilância antes de serem liberados ao público."

O processo contra Imam foi aberto por um advogado ligado a grupos islâmicos, Asran Mansour, que acusou o ator de ofender o islamismo e seus símbolos - como o uso da barba e do traje típico chamado "jilbab" -, segundo o portal noticioso egípcio Ahramonline.

Processos judiciais contra artistas e intelectuais acusados de desrespeito à religião são relativamente comuns no Egito.

Caso o recurso seja rejeitado, Imam - dono das maiores bilheterias do cinema egípcio - terá de cumprir a pena.

(Texto de Marwa Awad)